sexta-feira, 13 de novembro de 2015

TOLEDOT - Gerações




TOLEDOT -  GERAÇÕES

Gênesis 25: 19 a 28: 9
Malaquias 1:1 a 2:7
Marcos 9:14 a 10:31

"São estas as gerações de Isaque, filho de Abraão. Abraão gerou a Isaque;" - (Gênesis - 25:19)

A Palavra Toledot é o plural da Palavra Toldah que quer dizer: geração, descendente, história, memória, crônica.

Deus cumpriu cabalmente a Promessa que fizera ao nosso Pai Abraão, gerando nações de cada um dos filhos que teve. De Ismael, 12 nações (os antepassados dos árabes são os Ismaelitas), são os filhos como o Pó da Terra, que Deus prometera a Abraão, bem como os filhos de Quetura, a mulher que Abraão tomou depois da morte de Sarah, nasceram 5 filhos, pais de 5 nações.
Foi de Isaque, o filho da promessa, que Abraão gerou o povo de Deus. Filhos como a areia da praia, que estão à beira do Mar, que representa as nações... 
E através de Yeshua, filho de Abraão, Deus cumpriu a Promessa de dar a Abraão filhos como as Estrelas do Céu. Somos filhos de Abraão, somos sua descendência, fazemos parte de suas gerações, mas, históricamente não é filho de Abraão quem nasce seu filho apenas, não é apenas pela oportunidade dada por Deus, de ter sido gerado através da Semente de Abraão, mas, pelo comportamento de viver e agir segundo O Nosso Pai, que por Fé (EMUNAH), agradou a Deus.

Parece que o único que não quis ser filho de Abraão foi Lot (Palavra que quer dizer cobertura), pois ele apenas queria beneficiar-se de ser próximo a alguém tão importante e distinto. O resultado: Ló apartou-se de Abraão e com o pecado de Incesto, gerou filhos em suas filhas, que tornaram-se pais de nações que sempre odiaram o povo de Deus e tornaram-se por isso, palha para o fogo em suas gerações.

Já os que são filhos de Abraão, da mesma sorte, todos os que nasceram em sua casa foram marcados. Ismael e seus descendentes, assim como Isaque e seus descendentes, na carne através da Circuncisão do prepúcio dos meninos, aos 13 anos (os Ismaelitas), e aos 8 dias os descendentes de Israel. 
A circuncisão na carne sempre apontou para algo muito mais importante que é a circuncisão no coração, sendo que a primeira não gera proveito sem a segunda, e os filhos de Abraão como as estrelas dos Céus, gerados através de Yeshua, da mesma maneira, se não tiverem o sinal da Circuncisão, não tem parte com o Deus de Abraão de Isaque e de Israel. Sinal este que só O Eterno pode ver, pois só Ele conhece o nosso coração.

Nas gerações, é incrível, como pessoas nascem do mesmo ventre, bebem do mesmo leite, comem do mesmo pão, aprendem as mesmas coisas, mas, tomam atitudes completamente diferentes... Uns tornam-se marcos em suas Gerações como Heróis da Fé, outros geram abominações que depois de séculos continuam a gerar destruição.

Assim também são as gerações de Isaque, filho de Abraão.

Isaque precisou orar por sua esposa Rebeca, pois esta era estéril. Curiosamente sua esposa veio da mesma região e da mesma casa que os antepassados de seu pai Abraão, um povo idólatra de onde Deus sacou O Pai Abraão. Assim como Sarah sua mãe, e Raquel mulher de seu filho Jacó eram estéreis, Isaque deparou-se com uma das consequências terríveis da idolatria que é a esterilidade. Está escrito na Torah, que no meio do povo de Deus, não haveria mulher estéril e nem quem abortasse (Ex. 23:26). Todas as mulheres que durante um tempo viveram em tal situação, semelhante a um período de seca na Terra de Israel, quando deram à Luz, geraram filhos para bênção e para a Glória de Deus a saber: Sarah a Isaque; Rebeca a Jacó; Raquel a José; Ana a Samuel; Isabel a João, e outras...

Quando Rebeca viu-se grávida, usou de uma das prerrogativas de ser Nora do Nosso Pai Abraão, o amigo de Deus. De alguma maneira Rebeca sabia como consultar O Senhor, ela aprendeu através do relacionamento de seu Sogro e marido, que O Eterno está perto daqueles que O buscam. E percebendo que havia algo errado dentro de seu ventre Rebeca busca a Face de Deus, e obtem resposta, que dentro de seu ventre haria duas nações, e que o que nascesse primeiro serviria o que nascesse depois. COMO ALGUÉM PODE GERAR UMA DESTRUIÇÃO COM UMA REVELAÇÃO DE DEUS????

Infelizmente percebemos que A Revelação de Deus, o fato de Deus ter mostrado a Rebeca o que estava acontecendo em seu ventre e o que viria a ocorrer no futuro, no lugar de gerar segurança, paz, fez com que Rebeca tivesse uma predileção por Jacó, que era O Amado e o Escolhido de Deus. 
Rebeca como que querendo ajudar a Deus, gera dentro de sua própria casa um ambiente de disputa, de competição que acaba por arruinar esta família. 

Nos parece que não havia outro assunto naquela casa que não fosse a Primogenitura e o que Deus disse que faria. E esta Promessa de Deus foi conquistada não do jeito de Deus (que nós nunca saberemos como seria), mas, através de mágoas, de feridas e destruição de relacionamentos, pois alguém recebeu revelação de Deus, e usou isso de forma humana e destrutiva...

Enquanto isso, há um OÁSIS nesta Parashá, que justamente é o contrário da atitude de Rebeca, que tentou fazer algo para que A Vontade de Deus fosse bem sucedida... Deus não precisa de ajuda! 

Isaque, o filho da Promessa. Se há alguém na Bíblia que precisamos imitar é este Patriarca que nos ensina a ser FILHOS.

Isaque, foi gerado por Vontade de Deus, através de um milagre. Havia uma Promessa de Deus, quanto a sua vida, quanto a seu nascimento, e esta ELEIÇÃO DE DEUS, este propósito de Deus conosco, antes mesmo do nosso nascimento, precisa ser lembrado, enxergado, impresso em nossa vida, pois há inúmeras situações pelas quais teremos que passar, e se enfrentarmos tudo como FILHOS, lembrando quem realmente somos, as coisas passarão, mas, jamais as Palavras de Deus à nosso respeito.

Por causa de Isaque, Abraão mandou Ismael seu filho e também a sua mãe Hagar embora. Para que Ismael não maltratasse o filho da Promessa;
Por causa de Isaque, Abraão mandou os 5 filhos que teve com Quetura embora. Para que os filhos não dividissem a herança que Abraão tinha para o filho da Promessa;
Quando Isaque ouviu de Abraão que Deus providenciaria O Cordeiro para O Sacrifício, Isaque disse: Tá bem! Porque ele era o filho da Promessa;
Quando Abraão disse: Filho O Sacrifício é você, Isaque disse: Tá bem! Ele se deixou amarrar por mãos e pés e ser colocado sobre um Altar, e ver O Cutelo se levantar sobre a sua cabeça, para em seguida, ouvir O Anjo bradar a seu pai, não toques no menino... Ele é o filho da Promessa;
Quando Sarah morreu, Abraão, manda um servo buscar uma moça dentro de sua parentela para que se casasse com seu filho Isaque, (nem com mulher ele precisou se preocupar, Deus preparou uma pra ele), porque ele era o filho da Promessa;
Quando percebeu que sua mulher era estéril, Isaque orou e o ventre de sua mulher se abriu, porque ele era o filho da Promessa...

Tudo parecia fácil e "de mão beijada", para Isaque, ora, ele era o filho da Promessa.

Um momento muito delicado porém ocorreu quando houve fome na Terra de Israel, como nos dias de Abraão seu pai, e o mesma decisão equivocada de Abraão de ir ao Egito, Isaque intentou fazer. Até nisto vemos um relacionamento absolutamente tremendo, em que o filho imita tudo o que o pai faz (até os defeitos), como foi no caso em que mentiu ao rei dos filisteus sobre ser Rebeca sua esposa, coisa que o seu pai fizera por duas vezes. No entando, Deus intervém nesta situação, quando Isaque quer ir ao Egito,  pois Isaque é o filho da Promessa.

Deus aparece para Isaque e diz: "Não desças ao Egito."
Resposta de Isaque: "Tá bem!" Ele ficou onde estava! Não foi.

Simples! Deus falou não. É NÃO!
Filho maduro não precisa perguntar: Porque?
Simplesmente Isaque obedeceu.
Simplesmente naquele mesmo ano Deus prosperou Isaque a 100 por 1.

A obediência do filho, a dependência do filho, a confiança do filho gera bênçãos, provisão, liberações sobrenaturais, simplesmente por confiar e depender.

Esta dualidade de posições dentro da casa do Patriarca nos ensina demais. Enquanto Rebeca tentava fazer coisas para que as promessas de Deus se cumprissem, Isaque simplesmente obedecia, confiava e esperava...

Logo diante da Prosperidade do Patriarca, os inimigos se levantam e começam a entulhar os poços de água abertos por Isaque. Qual a reação de filho da Promessa: "Tá bem! Não vou brigar por isso... Isaque deixa este poço entulhado e vai para outro; novamente entulham o poço que Isaque abrira, e ele novamente deixa pra lá... Ele não briga pro nada. Tudo na vida do Filho coopera para o seu bem...

Os dois primeiros poços Isaque chamou-os de Sitna e Esseq (Briga, Inimizade e Contenda). Isaque deixa pra lá, ele deixa este tipo de situação e segue em frente até que vai a um lugar onde ninguém mais vem contender com ele e então Isaque chama este lugar de Rehovot (Reobote), palavra no plural para Lugares Amplos. O filho da Promessa deixa a inimizade e a contenda e Deus o conduz a Lugares Amplos... Muitas pessoas chegam até aí, e quando superam dificuldades, e quando prosperam e quando lutas que enfrentavam ficam para trás, amam os lugares amplos e permanecem aí, como se fora tudo o que Deus tem para sua vida, mas, Isaque não parou no lugar amplo e foi até BEER SHEVA (O Poço do 7).

Foi em Beer Sheva (O Poço do 7), que Abraão fez uma Aliança com o rei dos filisteus, e ali Abraão deu 7 ovelhas, quando cavou este poço e ali plantou Tamareiras. Isaque segue os passos de seu pai, ele continua a imitar em tudo o que via Abraão fazer e então descobre em seus dias O poço de águas vivas, cavado por seu pai e descoberto por ele. 

Neste lugar, no Lugar PERFEITO DE DEUS (O Número 7 nos lembra do SHABAT, que Deus tomou para si e o Santificou. "O Sétimo é do Eterno"), os inimigos que no passado se levantaram contra Isaque, o procuram para fazer com ele aliança. "Assim se faz ao homem a quem O Rei deseja honrar"...  Estas palavras ditas por ordem do Rei Assuero a Haman, para que este declarasse sobre o judeu Mordecai, nos faz voltar a pensar que destino tão diverso teve Jacó e seus descendentes, bem como Esaú e seus descendentes...

Vemos nesta Parashá que Esaú era amado por seu pai, porque caçava bem.
Jacó era amado por sua mãe. 

Um amado pelo que faz, outro pelo que é. A atitude de Rebeca ajudando Jacó a enganar o pai, gera tanta amargura em Esaú, que por vingança toma mais que uma mulher, e entre elas uma ismaelita, de quem viria um neto seu chamado Amaleque.

Pois séculos depois os descendetes de Esaú, covardemente e cruelmente atacam os filhos de Jacó no deserto quando Deus declara que de geração em geração haveria guerra contra Amaleque, filho de Esaú...

As atitudes que temos vão afetar as nossas gerações muito depois de nossas vidas terem chegado ao fim. Algumas serão afetadas para a Vida e Bênção, outras para a Morte e Destruição.

Desta maneira Deus através do Profeta Malaquias (Malachi), confronta os filhos de Arão, os descendentes marcados pela honra de oficiarem a Deus, de invocarem O Seu Nome, de não terem herança natural, pois a herança destes é O Próprio Deus. 

O Eterno chega a dizer que por conta do O Seu Nome não ser honrado nas gerações de Sacerdotes, as bênçãos que eles fizerem, Deus transforará em Maldições. Deus pede para que fechassem O Templo, pois suas ofertas eram abomináveis Diante de Deus. O coração deles não estava em Deus.

Vemos Jesus entristecer-se com seus discípulos por não poderem repreender um demônio que assolava um rapaz, e algumas pessoas impedindo que as crianças chegassem até O Mestre para que este impusesse as mãos sobre elas. Jesus diz que alguém que levar ao escândalo estes pequeninos era melhor que se lançasse no mar com uma Pedra de Moinho amarrada ao pescoço. 

Há muitas pessoas achando que por serem filhos de Abraão, por serem judeus, por serem cristãos, por serem desta ou daquela igreja, serão salvos. Alguns no entanto, ao dormir muitas vezes, ao acordar, em momentos do seu dia a dia se perguntam: Será que eu sou salvo mesmo? 

Um doutor da Lei, vai até Jesus, com uma dúvida terrível: "Que farei para herdar a Vida Eterna?"

A Paz de Isaque, o filho da Promessa. A Certeza daquele que foi cuidado, conduzido, amado, protegido, prosperado, ajudado, distinguido, eleito é o que pode fazer toda a diferença nas Gerações. 

Enquanto a figura de Abraão, O Pai de Nações, nos remete ao Nosso Deus, Bendito seja O Seu Glorioso Nome! Isaque nos remete à Yeshua, que perante os seus tosquiadores, não abriu a sua boca. Aquele que não fazia nada por si só, mas, somente aquilo que via O seu Pai realizar. Aquele que disse: "Se possível for, passa de mim este cálice, mas, não seja feita a minha vontade, mas, A Tua".
Aquele que mesmo que O Pai, não lhe respondeu, quando bradou: "Eli Eli lamá Azavtani?" continuou a falar, pois sabia que por sua obediência estava fazendo A Vontade de quem O havia Enviado. Então, mesmo sem obter resposta Yeshua,continuou falando e bradou: "Pai, está consumado! A Ti entrego o meu espírito."

"De pedras", falou O Eterno, Ele poderia fazer filhos para Abraão, e isso quer dizer que são as nossas atitudes que podem ou não gerar O Favor de Deus em nossas vidas e fazer com que TOLEDOT, as nossas gerações possam ser marcadas por bênçãos ou maldições...

Como Josué disse ao povo diante dos montes Ebal e Guerizim: "Escolham a Vida e vivam!"

DELE POR ELE E PARA ELE SÃO TODAS AS COISAS... A Ele, pois, A Glória Eternamente! Amém.


KI MITZION TETZSEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)


Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

Um comentário: