sexta-feira, 27 de novembro de 2015

VAISHLACH - E ENVIOU



VAISHLACH - E ENVIOU

Gênesis 32: 3 a 36: 43
Obadias 1:1 a 21
Mateus: 16: 13 a 28 e João. 21: 1 a 19

E enviou Jacó mensageiros diante de si a Esaú, seu irmão, à terra de Seir, o território de Edom, 
(Gen 32:3)

Jacó foi em toda a sua vida um sofredor. O Patriarca, por quem seriam chamados todos os descendentes de Abraão, lutou desde o momento de seu nascimento quando agarrava o calcanhar de seu irmão, até o momento de sua morte, longe da Terra Prometida, vivendo no Egito.
No início de sua vida, fez com a força de seus braços, com sua sagacidade, as conquistas que entendia lhe serem devidas, e sofreu muito por isso.

Comprou a Primogenitura de seu irmão, mesmo tendo Deus declarado que seu irmão o serviria;
Enganou a seu pai, para ser abençoado; nós nunca saberemos o que aconteceria se Jacó tivesse confiado em Deus;
Jacó nunca mais vê sua mãe, que tanto lhe amava;
Jacó vai trabalhar para seu sogro e é terrivelmente enganado por ele diversas vezes;
Jacó tem de fugir com toda sua família e quando foi achado por seu sogro ainda é humilhado;
Enfim Jacó, tem de enfrentar agora o momento mais terrível de sua vida... Vai ter de enfrentar a fúria do seu irmão que jurou matá-lo, pois por ele foi enganado...

Jacó, usando a mesma forma de agir de sempre, depois de enviar mensageiros a seu irmão, ora a Deus pedindo livramento e ao mesmo tempo envia presentes a Esaú seu irmão, na expectativa de lhe abrandar a fúria. Esaú vem ao seu encontro com um exército...

Jacó com medo da vingança e fúria de seu irmão, decide separar em dois grupos suas mulheres e filhos, para que se Esaú desse contra um o outro grupo pudesse fugir e sobreviver.... A Luta pela sobrevivência, transformou-se na luta mais terrível que Jacó estava por enfrentar, era o que ele pensava.

Quando ele fez com que todos passassem pelo ribeiro em direção da Terra da Promessa, Jacó fica sozinho e então se vê lutando com Deus. Ele achava que a sua luta era contra o irmão, mas, descobriu algo muito marcante, para toda a sua vida... Quando Deus tem um propósito com as nossas vidas, a maoir luta que travamos é contra nós mesmos, e Deus vem ao nosso auxílio para nos fazer perder esta batalha... Quando amamos a nossa vida sem Deus, haveremos de perdê-la, mas, se desprezamos a vida em que fazemos tudo pela força de nosso braço, ou por nossa sagacidade, aí achamos a Vida que Deus sonhou para nós...

Deus nos ama tanto que perde uma noite toda, deixando-nos achar que podemos lutar com Ele. Na hora de ir, quando Jacó declara que não o deixará ir, se não o abençoar, um toque na articulação de sua coxa, o faz mancar para sempre, para que percebesse, que não havia condição alguma de lutar contra Deus, mas, Deus permite para que possamos chegar à Conclusão que sem Ele, nós nada podemos fazer...

Quando o Anjo do Eterno (Yeshua antes de manifestar-se em carne), pergunta: - Qual é o seu nome? O Patrarca declara: JACÓ - YACOV - Suplantador, enganador, embusteiro, é o meu nome...

Pois a declaração que se segue é a marca da atuação de Deus na vida das pessoas. Deus passa a chamá-lo de Israel. Israel nome que indica um homem segundo Deus, tem curiosamente o nome de cada um dos patriarcas sepultados na caverna de Macpelah, a saber: I de seu pai Itzchak, S de Sarah; R de Rivka; A de Avraham e L de Lea, sua primeira mulher.

Alguns que clamam pela Presença de Deus, pela Manifestação Poderosa de Deus em suas vidas, jamais poderiam imaginar que mancariam para o resto de suas vidas, depois deste encontro. Quando Jacó, reconhece quem é, o quanto falhou, o quanto fez para alcançar o que queria, e isso não o livrou de deparar-se com o seu passado, e que só O Eterno poderia libertá-lo de si mesmo. O Grande inimigo, não era o seu irmão, era ele mesmo... Deus lhe promete prosperá-lo ainda mais, fazer dele uma multidão de povos, assim como Isaque seu pai, recebeu tal promessa de seu pai Abraão, tudo isso agora pertence a Israel.

Temeroso ainda Israel encontra-se com Esaú que o abraça com saudade, choram juntos amargamente, porque o mais velho não se importava mesmo com o que Jacó valorizava tanto, mas, Esaú, o amava mesmo assim, mesmo sendo traído por seu irmão, o perdoa, embora suas intenções não fossem tão claras para Jacó, que prefere desculpar-se e manter uma distância razoável de seu irmão, que volta para a sua terra, sendo que os encontros futuros seriam de seus descendentes que viveriam em guerra até todos os descendentes de Esaú fossem definitivamente erradicados da face da Terra.

Edom (Esaú), que toma mulheres para si entre outras nações, contamina-se com seus deuses, e gera descendência nos filhos de Ismael, de onde surge Amaleque, que será um povo odioso, sob a influência do Mal, que perseguirá por todas as gerações os filhos de Israel.

Deus passa a falar com Israel e a conduzí-lo em cada um de seus passos, embora continue o Patriarca a sofrer com situações tão terríveis em sua família, como o estupro de sua filha Dinah; a desonra de Simeão e Levi, que não obstante a palavra de seu pai, matam todos os homens de Siquém.
Dor mais profunda ainda é quando vê cumprida a maldição que dissera a seu sogro, acerca de quem teria roubado seus ídolos, sem saber que era a sua própria mulher, a amada Rachel.

Rachel morre em Betlehem, enquanto dava à Luz a Benjamim, a quem chamou Benoni - Filho das minhas dores...

Israel, que viu Deus mudar o seu destino, mesmo perdendo sua amada, decidiu não levar para sua casa e criar o Filho das dores, o filho do desespero e da tristeza, mas, BEN YAMIM - O Filho da Mão Direita, O Filho da Bênção. Esta forma de ver o mundo passa a ser a marca do Patriarca, que mesmo enfrentando as piores situações a quem poderíamos pensar, passou a confiar n´Aquele que muda destinos!

Shimon ben Yochanam, chamado por Yeshua para ser seu discípulo e apóstolo, tomou a iniciativa de dizer claramente quem ele cria que Yeshua era, Ele pelo Espírito Santo declara: " - Para mim, tu és o Mashiach, O Filho do Deus Vivo".

Yeshua reconhecendo que esta declaração vinha da parte do RUACH HAKODESH, chama Shimon de BEN YUNIS (Filho da Pomba), este não era o nome de seu pai, mas, Yeshua estava lhe dizendo que ele tornara-se filho da Revelação, Filho do Espírito, Filho de JONAS (YUNIS - Pomba).

Yeshua ainda declara: - tu és KEFAS" (Pedregulho), diante do Grande Monte Hermon, Yeshua compara Kefas, uma pedra sacada da Rocha da TZUR ISRAEL - A Rocha de Israel, sobre a qual O Estado de Israel foi fundado em 1948; o nome da 1ª Beit Knesset do Brasil, fundada em Recife; O Rocha de Esquina, a Rocha de Edificação; O Rochedo da Nossa Salvação.

Mesmo diante da pequenês de Kefas, em face da Grandeza do TZUR ISRAEL, Yeshua declara: "Eu te darei as chaves do Reino dos Céus"; "o que abrires ninguém fechará e o que fechares ninguém abrirá"; sobre esta TZUR edificarei a minha KEHILAH, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela... Ali em frente aos nichos esculpidos na Rocha para falsos deuses, diante do templo para o deus Pan; e os demais templos, Yeshua dá autoridade a Kefas e a todos quanto no futuro, pelo RUACH HAKODESH, forem conduzidos ao mesmo entendimento, que YESHUA É O FILHO DO DEUS VIVO!

Algo tão profundo, tão glorioso, não impediu de Pedro (Kefas), errar logo em seguida, aconselhando a Jesus parar de falar sobre sua morte na Cruz, O Mestre precisa repreendê-lo, percebendo ali uma atuação de Satanás.

Estes altos e baixos, momentos gloriosos e falhas horríveis, é a marca do ser humano. Tem sido a marca dos filhos de Israel, que não deixaram de ser também filhos de Jacó.
Pessoas cheias do Espírito Santo, que incrívelmente e horrivelmente se meterm em situações, em que todos se perguntam: Como pode?

Dependência de Deus! TOTAL DEPENDÊNCIA DE DEUS é a resposta... No dia que o homem achar que deixou de ser o VERMEZINHO DE JACÓ, este está fadado à destruição...

Quando Pedro percebe que era o Mestre como que zombando dele e dos outros discípulos que passaram a noite pescando sem pegar nada, quando Jesus diz de longe: "PEGARAM ALGUMA COISA?"

Yeshua diz para que eles lançassem as redes pelo lado direito do barco. Talvez já tivessem feito isso tantas vezes naquela noite, mas, à voz daquele que da Praia, tinha sobre as brasas pão quente e peixe, viram as redes se encherem de 153 GRANDES PEIXES....

Kefas, percebendo por este milagre tão grande que só um podia fazer algo assim, veste-se e se lança ao mar... O Apóstolo talvez cresce que as águas de novo seriam um solo firme para os seus pés, mas, para ele ali não mais importava, pois se as águas não se firmassem ele iria nadando, mas, ele queria estar com Jesus novamente... Por segundos Kefas se esquece que há poucos dias havia O havia negado três vezes, mesmo sendo advertido...

Yeshua por três vezes pergunta se Kefas o amava... O jogo das palavras usadas por João em grego, nos leva a entender que Pedro percebe que não consegue amar a Yeshua, com o Amor Perfeito que tinha sido amado, e por três vezes Yeshua lhe diz: "ENTÃO, pastoreia as minhas ovelhas" - em outras palavras: Faça alguma coisa da sua declaração, porque até aqui você tem dito tantas coisas, mas, de tais palavras não tem feito coisa alguma...

Yeshua ensina a Kefas e a nós, que se ele seguisse nesta "toada", em algum tempo ele se tornaria um "velho gagá", que iria para onde as pessoas o levassem e vestiria o que as pessoas lhe dessem para vestir. Yeshua com isso lhe questionava sobre que tipo de morte, Kefas glorificaria a YESHUA.

Pois quando Kefas foi morto, pela tradição cristã, ao ser crucificado como o Mestre, pede que pudesse ser martirizado de cabeça para baixo, para que não imitasse O Senhor.

De qualquer forma, as lições estão aí para nós e para a nossa geração. Encontrar-se pessoalemente com Deus é a marca para uma vida de sucesso. O Sucesso, não indica que não falharemos de novo, que deixaremos em algum momento de depender de Deus, pelo contrário, quanto mais Deus nos usar, mais precisaremos Dele, pois SEM JESUS, NÓS NADA PODEMOS FAZER.

O Salmo 24 questiona: "Quem subirá ao Monte do Eterno e quem há de permanecer no Seu Santo Lugar? O que é limpo de mãos e puro de coração" - O ÚNICO ASSIM É YESHUA....

Mas, também o  Salmista diz: "Assim é a geração daqueles que buscam a Face do Deus de YACOV".

Aqueles que buscam a Face do Deus de Yacov, do Deus que muda história, que transforma vidas, que muda destinos, são aqueles que por YESHUA, poderão subir e permanecer no Monte Santo do Eterno, não por seus méritos, porque ninguém tem méritos para isso, mas, por ELE, PARA ELE, PARA A GLÓRIA DELE ETERNAMENTE....

Quando nos encontramos com Deus face a face, como Israel, Ele nos revela quem somos, e nós conhecemos quem Ele é!

O Sujo se sujará mais ainda, o ímpio cometerá mais impiedade, mas, cabe a nós, que dependemos de Deus que nos santifiquemos cada vez mais ainda... Isso não está em nós, está Nele. Temos que percebendo quem é que está diante de nós, largarmos tudo e corrermos para O Seu Encontro. O Encontro pode sim ser um confronto, pode sim nos deixar marcados para sempre, mas, SÓ HÁ SALVAÇÃO EM SEU NOME! Só há Esperança nele...

Yacov enviou mensageiros para saber como seu irmão o trataria, seu grande medo, era ter de encontrar-se com o seu passado... Deixe o seu passado nas mãos de Yeshua, encontre-se com Ele e conheça o seu futuro!

Há anos atrás, um iehudi, que não crê ainda que Yeshua é O Mashiach me disse que a frase:

ANI ELOHIM - EU SOU DEUS - BEIVRIT (Em hebraico), já que cada letra corresponde a um número, revela o que os discípulos de Yeshua e Kefas entenderam assim que desceram naquela praia...

 אני אלוהים
א - 1
נ - 50
י - 10
א - 1
ל - 30
ו - 6
ה - 5
י - 10
ם - 40

TOTAL = 153 - EU SOU DEUS!!!!



KI MITZION TETZSEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)


Alguém que precisa de Deus, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

VAYETSE - E PARTIU



VAYETSE - E PARTIU

Gênesis 28: 10 a 32: 2
Oséias 11:7 a 14:9
Atos 9: 1 a 26

Partiu Jacó de Beersheva e se foi em direção a Haran; (Gen 28:10)

O Pai Abraão sai do Oriente e vem para o Ocidente; deixa um lugar de idolatria até encontrar-se com O Eterno num lugar onde ao oriente esta Aí, e ao ocidente Betel. Ali O Nosso Pai Abraão, levantou um Altar e Invocou O Nome do Eterno. Ele que viera da Mesopotâmia (região ao Oriente) deixando lá a perversidade que surge na Torre de Babel, se depara com O Lugar, O Monte Moriah, onde no futuro um seu descendente erguerá uma Casa ao Eterno, e onde Yeshua um dia ainda haverá de Reinar.
Neste mesmo lugar por volta de um século depois, Iacov (Jacó), neto de Abraão passa no mesmo lugar em fuga. Sozinho. Dorme ali, no mesmo lugar, indo no mesmo caminho da Pai Abraão, mas, no sentido contrário...
No passado Abraão invocou O Eterno, agora, o neto de Abraão é procurado pelo Criador do Universo. Uma visão inesquecível! Anjos subindo de descendo de uma escada que vinha dos Céus até tocar a Terra.
O Eterno apresenta-se para Iacov, como O Deus de seus pais, e promete que será com ele em suas jornadas, e lhe faz promessas como fizera a Abraão e a Isaque... Isaque faz então um voto com Deus...

Se me abençoares e me trouxeres a este lugar em Paz e segurança e próspero, então, disse Jacó ao Eterno: - "Eu te darei o dízimos de tudo quanto tu me houveres dado e no lugar desta Pedra será a Casa de Deus." -

Não, Iacov não inventou os dízimos não! O pai Abraão, neste mesmo lugar no passado já entregara seus dízimos à Melech Tzedek (Melquisedeque). O que Iacov estava fazendo era uma negociata com Deus, assim como comprara a primogenitura de seu irmão; assim como enganara seu pai; assim como estava indo buscar a sorte na terra dos antepassados de seus pais, Iacov, não tinha ideia, que a próxima vez que voltasse a este lugar, ele seria um novo homem. Alguém que descobriria "com quantos paus se faz uma Arca de Noé"... E então Deus topou na hora! Porque se há algo que Deus sabe é transformar "Suplantadores, enganadores, embusteiros, espertalhões - Jacós..." em ISRAEL. Príncipe de Deus.

O Pai Abraão deixou tudo e veio para a Terra Prometida;
Isaque jamais saiu da Terra da Promessa, nem para casar-se...
Jacó, é alguém que trascende... Ele nasce na Terra, volta para Haran, para depois regressar à Terra da Promessa, porque Deus decide ir com ele para trazê-lo no futuro de volta... Esta história de IACOV, é a história do povo Judeu, nestes milênios. São amados por causa dos Patriarcas; São alvo do Amor e das Promessas maravilhosas de Deus; mas, possuem o hábito de fazerem coisas para obter o que Deus lhes designou por Amor e pela Graça. Eles muitas vezes foram para a Dispersão como Iacov, para num futuro, transformados, serem trazidos de volta... Abençoados, prósperos, mas, com profundas marcas, pelo tempo em que estiveram longe do Eterno, da Sua Palavra e da Sua Promessa.

O Eterno continua transformando IACOV em ISRAEL.

IACOV, foi jovem e voltou velho...
Mas, sempre haverá O Remanescente Fiel, que embora ferido e marcado, jamais será desamparado por Aquele que Vive e Reina para Sempre. Aquele que fez a Promessa. Aquele que é conhecido como O DEUS DE JACÓ!

Como disse DAVID HAMELECH, "Quem subirá ao Monte do Eterno, e quem há de permanecer no seu Santo Lugar? O que é limpo de mãos e puro de coração. (Quem poderá se salvar então? nos perguntamos), Tal é a Geração daqueles que O Buscam, daqueles que buscam a Face do Deus de Jacó." Salmo 24.

Sempre haverá aqueles que precisam de Deus, que desviaram-se de seus propósitos, mas, que são tão amados, que quando buscarem O encontrarão, quando invocarem Ele lhes responderá; na casa de seus opressores, Ele os prosperará, e os trará de volta, porque não foram eles que O Escolheram, mas, pelo contrário, foram escolhidos, para que vão, dêem frutos, um Fruto que permaneça! Aleluia!!!!

Iacov vem conhecer seu amado tio Labão (Lavan - branco, puro), de de puro e bonzinho não tinha nada. Este homem torna-se o instrumento de Deus, para forjar o caráter de Jacó e começar o processo de transformação... Porque tudo o que Jacó, fez com os seus, pagou muitas vezes mais nas mãos de Labão, o seu futuro sogro...

O engano começou no casamento, quando apaixonado por Rachel, recebe Lia, por esposa.
Enganado no trabalho; em seus salários; quando mais Jacó manifestava a bênção de Deus e seu sogro prosperava com isso, mais Jacó era enganado por Labão e via-se oprimido...

Seguindo o mau exemplo de seu avô Abraão que tomou mais de uma mulher (todas vezes que isso ocorre na Bíblia, acaba em desgraça! todas!!!! DEUS FEZ O HOMEM E UMA MULHER PARA ESTE HOMEM, a não ser em caso de morte - Fora disso, além de pecado, tome desgraça!!!!)

Depois de trabalhar 7 anos por Rachel e casar-se com Lia; Jacó trabalhou mais 7 anos novamente por sua amada, casa com ela e ainda trabalha outros sete anos para seu sogrão...

Vendo que Jacó amava mais a Rachel e que Lia era desprezada, O Eterno torna Lia fecunda! É curioso, que Lia, que oficialmente foi a primeira esposa de Jacó, é a Matriarca que está junto de Sarah e Rebeca (e talvez Eva), na caverna de Macpelah e não Rachel.

Assim, enquanto havia esterilidade em Rachel, Lia, ia enchendo Jacó de filhos...

De Lia: RUBEN; SHIMEON, LEVI, IEHUDA.

Arrasada com a vergonha da esterilidade, Rachel propõe como Sarah propôs a Abraão, que Jacó, tomasse sua serva Bilah, para gerar nela um filho... E Jacó disse: TÁ BEM!

de Bilah vieram: DAN E NAFTALI

Com raiva da estratégia da irmã, Lia, faz a mesma coisa e Jacó disse: TÁ BEM!

de Zilpa, serva de Lia, vieram então: GAD E ASHER

No meio desta confusão, Lia consegue novamente a atenção de Jacó e nascem mais 3 filhos....

De Lia: ISSACAR, ZEVULON E DINAH (A única mulher)

e então chegou a vez de Rachel, que foi livre da esterilidade e então gerou:

De Rachel: IOSSEF (José).

São estes os filhos de Jacó, que nascem na Dispersão e morrerão na Dispersão.

Quando Jacó percebe que grande família se tornara, procurando justiça com o sogro que o havia enganado tantas vezes, sugere que determinados animais do rebanho de Labão, fossem separados, como saláro de Jacó. É como se fosse a pior parte do rebanho. Jacó queria ver-se livre e usa então uma estratégia que torna-se um marco de profunda que fala tão profundamente da intimidade de Deus para com o seu povo...

Jacó toma Varas verdes (Galhos tenros), de três tipos de árvores. O servo de Labão, descasca, expõe a brancura das varas e as coloca no local onde as ovelhas iam matar a sede. Ali naquele lugar, diante da visão das varas descascadas, as ovelhas procriavam e todas as que nasciam tinham as características exigidas para que pudessem pertencer a Jacó. Isso não foi um engano. FOI UM MILAGRE!

Há muitos anos atrás, nos primeiros meses do ano de 2000, quando Deus começou a agir, gerando o que seria a BETLEHEM, O Eterno me deu uma visão:

"Eu recebi um cajado em minhas mãos, e a pessoa que me dava o cajado, separava-se de mim. Olhando para o meu lado direito, passai a ver: ovelhas.
Estas ovelhas vinham numa quantidade impossível de se contar, e passavam debaixo deste cajado que eu recebera. Eu então ouvi a frase: SÃO OVELHAS MATRIZES e lembro-me que recordei este texto, em que Jacó, descascava as árvores e punha as varas aonde as ovelha matariam sua sede"

Quando então fui apresentado às pessoas, com as quais nasceu a Betlehem, passei a ministrar durante semanas, sobre O DEUS DE ABRAÃO, DE ISAQUE E DE JACÓ... Meu coração queima hoje da mesma maneira que naqueles dias pelo Deus da minha vida e da minha Salvação.

No domingo em que fui ministrar sobre esta Palavra, assunto da Parashá VAIETSE, O Eterno me disse qual o nome que daríamos à Igreja: BETLEHEM - CASA DO PÃO PARA TODOS OS POVOS...

Deus me disse, que sempre teríamos do abundância do Pão da Vida, e de coisas naturais para suprir quem nos procurasse, e então, pude naqueles dias entender, que haveria dias em que eu tomaria as varas descascadas e colocaria diante de ovelhas, que sendentas, gerariam ali diante de nós.
Deus me falava de Ovelhas Matrizes, pessoas que darão muito fruto; pessoas com capacidade de produzir muito e portanto precisariam de água fresca, excelente alimento e mais do que tudo... DAS VARAS DESCASCADAS... No meu modo de entender: PALAVRA REVELADA!

Deus me mostrava que haveria dias em que eu poria as varas e ali nasceriam pessoas que caminhariam conosco, por causa do propósito que O Eterno tinha com nossas vidas, propósito que apenas começava a ser desenhado...

Aleluia... 15 anos depois, temos vivido O EXTRAORDINÁRIO, O JAMAIS VISTO, SONHADO, IMAGINADO, PEDIDO, ESPERADO... E isso ainda é só o começo temos certeza!

Por isso, os nossos lábios se enchem de Júbilo e a nossa boca de Riso, pois grandes e tremendas coisas tem feito O Eterno conosco, esta é a NOSSA ALEGRIA INDIZÍVEL!!!!!

Rico, cheio de filhos, Jacó foge de seu sogro Labão, mas, não imagina que sua esposa Rachel, furtaria os ídolos de seu pai, levando-os consigo. Quando Labão alcança Jacó, este amaldiçoa a pessoa que fez tal coisa, não tendo ideia que era justamente a mulher que tanto amava....

A história de Jacó, realmente foi muito difícil, este homem passa por cosias que a maioria de nós não suportaria, mas, o momento mais dificil de sua vida ainda estava por vir, quando ele se encontraria consigo mesmo..... quando se encontraria com o seu passado.... quando se encontraria com as consequências do que fez... quando se encontraria com os frutos do que semeou....

Antes disso, Jacó depara-se com O Exército dos anjos do Eterno, que vieram recepcioná-lo para conduzí-lo à vida que Sempre Deus lhe desejou dar... Para isso, IACOV teria que ser transformado num novo homem, não apenas no exterior, como as marcas do tempo e do sofrimento lhe conferiam novo semblante, mas, internamente, onde só O Eterno pode ver...

Um dos descendentes mais famosos de Jacó, SHAUL (Saulo), sai na mesma direção que IACOV, fora em seus dias, nas expectativa que faria o que sempre fez, da maneira que sempre fez, pois era senhor de seu destino, achando que daquele jeito agradava a Deus, e que melhor do que todos, cumpria os designios do Eterno...
SHAUL, tem um encontro com YESHUA, e sua vida é TRANSFORMADA...
SHAUL, voltaria ao lugar de onde partiu...

Do mesmo lugar de onde IACOV partiu...

Mas, os homens que PARTIRAM, não foram os mesmos homens que voltaram...

POIS O ETERNO OS TRANSFORMOU EM NOVOS HOMENS...


DELE POR ELE E PARA ELE SÃO TODAS AS COISAS... A Ele, pois, A Glória Eternamente! Amém.


KI MITZION TETZSEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)


Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

TOLEDOT - Gerações




TOLEDOT -  GERAÇÕES

Gênesis 25: 19 a 28: 9
Malaquias 1:1 a 2:7
Marcos 9:14 a 10:31

"São estas as gerações de Isaque, filho de Abraão. Abraão gerou a Isaque;" - (Gênesis - 25:19)

A Palavra Toledot é o plural da Palavra Toldah que quer dizer: geração, descendente, história, memória, crônica.

Deus cumpriu cabalmente a Promessa que fizera ao nosso Pai Abraão, gerando nações de cada um dos filhos que teve. De Ismael, 12 nações (os antepassados dos árabes são os Ismaelitas), são os filhos como o Pó da Terra, que Deus prometera a Abraão, bem como os filhos de Quetura, a mulher que Abraão tomou depois da morte de Sarah, nasceram 5 filhos, pais de 5 nações.
Foi de Isaque, o filho da promessa, que Abraão gerou o povo de Deus. Filhos como a areia da praia, que estão à beira do Mar, que representa as nações... 
E através de Yeshua, filho de Abraão, Deus cumpriu a Promessa de dar a Abraão filhos como as Estrelas do Céu. Somos filhos de Abraão, somos sua descendência, fazemos parte de suas gerações, mas, históricamente não é filho de Abraão quem nasce seu filho apenas, não é apenas pela oportunidade dada por Deus, de ter sido gerado através da Semente de Abraão, mas, pelo comportamento de viver e agir segundo O Nosso Pai, que por Fé (EMUNAH), agradou a Deus.

Parece que o único que não quis ser filho de Abraão foi Lot (Palavra que quer dizer cobertura), pois ele apenas queria beneficiar-se de ser próximo a alguém tão importante e distinto. O resultado: Ló apartou-se de Abraão e com o pecado de Incesto, gerou filhos em suas filhas, que tornaram-se pais de nações que sempre odiaram o povo de Deus e tornaram-se por isso, palha para o fogo em suas gerações.

Já os que são filhos de Abraão, da mesma sorte, todos os que nasceram em sua casa foram marcados. Ismael e seus descendentes, assim como Isaque e seus descendentes, na carne através da Circuncisão do prepúcio dos meninos, aos 13 anos (os Ismaelitas), e aos 8 dias os descendentes de Israel. 
A circuncisão na carne sempre apontou para algo muito mais importante que é a circuncisão no coração, sendo que a primeira não gera proveito sem a segunda, e os filhos de Abraão como as estrelas dos Céus, gerados através de Yeshua, da mesma maneira, se não tiverem o sinal da Circuncisão, não tem parte com o Deus de Abraão de Isaque e de Israel. Sinal este que só O Eterno pode ver, pois só Ele conhece o nosso coração.

Nas gerações, é incrível, como pessoas nascem do mesmo ventre, bebem do mesmo leite, comem do mesmo pão, aprendem as mesmas coisas, mas, tomam atitudes completamente diferentes... Uns tornam-se marcos em suas Gerações como Heróis da Fé, outros geram abominações que depois de séculos continuam a gerar destruição.

Assim também são as gerações de Isaque, filho de Abraão.

Isaque precisou orar por sua esposa Rebeca, pois esta era estéril. Curiosamente sua esposa veio da mesma região e da mesma casa que os antepassados de seu pai Abraão, um povo idólatra de onde Deus sacou O Pai Abraão. Assim como Sarah sua mãe, e Raquel mulher de seu filho Jacó eram estéreis, Isaque deparou-se com uma das consequências terríveis da idolatria que é a esterilidade. Está escrito na Torah, que no meio do povo de Deus, não haveria mulher estéril e nem quem abortasse (Ex. 23:26). Todas as mulheres que durante um tempo viveram em tal situação, semelhante a um período de seca na Terra de Israel, quando deram à Luz, geraram filhos para bênção e para a Glória de Deus a saber: Sarah a Isaque; Rebeca a Jacó; Raquel a José; Ana a Samuel; Isabel a João, e outras...

Quando Rebeca viu-se grávida, usou de uma das prerrogativas de ser Nora do Nosso Pai Abraão, o amigo de Deus. De alguma maneira Rebeca sabia como consultar O Senhor, ela aprendeu através do relacionamento de seu Sogro e marido, que O Eterno está perto daqueles que O buscam. E percebendo que havia algo errado dentro de seu ventre Rebeca busca a Face de Deus, e obtem resposta, que dentro de seu ventre haria duas nações, e que o que nascesse primeiro serviria o que nascesse depois. COMO ALGUÉM PODE GERAR UMA DESTRUIÇÃO COM UMA REVELAÇÃO DE DEUS????

Infelizmente percebemos que A Revelação de Deus, o fato de Deus ter mostrado a Rebeca o que estava acontecendo em seu ventre e o que viria a ocorrer no futuro, no lugar de gerar segurança, paz, fez com que Rebeca tivesse uma predileção por Jacó, que era O Amado e o Escolhido de Deus. 
Rebeca como que querendo ajudar a Deus, gera dentro de sua própria casa um ambiente de disputa, de competição que acaba por arruinar esta família. 

Nos parece que não havia outro assunto naquela casa que não fosse a Primogenitura e o que Deus disse que faria. E esta Promessa de Deus foi conquistada não do jeito de Deus (que nós nunca saberemos como seria), mas, através de mágoas, de feridas e destruição de relacionamentos, pois alguém recebeu revelação de Deus, e usou isso de forma humana e destrutiva...

Enquanto isso, há um OÁSIS nesta Parashá, que justamente é o contrário da atitude de Rebeca, que tentou fazer algo para que A Vontade de Deus fosse bem sucedida... Deus não precisa de ajuda! 

Isaque, o filho da Promessa. Se há alguém na Bíblia que precisamos imitar é este Patriarca que nos ensina a ser FILHOS.

Isaque, foi gerado por Vontade de Deus, através de um milagre. Havia uma Promessa de Deus, quanto a sua vida, quanto a seu nascimento, e esta ELEIÇÃO DE DEUS, este propósito de Deus conosco, antes mesmo do nosso nascimento, precisa ser lembrado, enxergado, impresso em nossa vida, pois há inúmeras situações pelas quais teremos que passar, e se enfrentarmos tudo como FILHOS, lembrando quem realmente somos, as coisas passarão, mas, jamais as Palavras de Deus à nosso respeito.

Por causa de Isaque, Abraão mandou Ismael seu filho e também a sua mãe Hagar embora. Para que Ismael não maltratasse o filho da Promessa;
Por causa de Isaque, Abraão mandou os 5 filhos que teve com Quetura embora. Para que os filhos não dividissem a herança que Abraão tinha para o filho da Promessa;
Quando Isaque ouviu de Abraão que Deus providenciaria O Cordeiro para O Sacrifício, Isaque disse: Tá bem! Porque ele era o filho da Promessa;
Quando Abraão disse: Filho O Sacrifício é você, Isaque disse: Tá bem! Ele se deixou amarrar por mãos e pés e ser colocado sobre um Altar, e ver O Cutelo se levantar sobre a sua cabeça, para em seguida, ouvir O Anjo bradar a seu pai, não toques no menino... Ele é o filho da Promessa;
Quando Sarah morreu, Abraão, manda um servo buscar uma moça dentro de sua parentela para que se casasse com seu filho Isaque, (nem com mulher ele precisou se preocupar, Deus preparou uma pra ele), porque ele era o filho da Promessa;
Quando percebeu que sua mulher era estéril, Isaque orou e o ventre de sua mulher se abriu, porque ele era o filho da Promessa...

Tudo parecia fácil e "de mão beijada", para Isaque, ora, ele era o filho da Promessa.

Um momento muito delicado porém ocorreu quando houve fome na Terra de Israel, como nos dias de Abraão seu pai, e o mesma decisão equivocada de Abraão de ir ao Egito, Isaque intentou fazer. Até nisto vemos um relacionamento absolutamente tremendo, em que o filho imita tudo o que o pai faz (até os defeitos), como foi no caso em que mentiu ao rei dos filisteus sobre ser Rebeca sua esposa, coisa que o seu pai fizera por duas vezes. No entando, Deus intervém nesta situação, quando Isaque quer ir ao Egito,  pois Isaque é o filho da Promessa.

Deus aparece para Isaque e diz: "Não desças ao Egito."
Resposta de Isaque: "Tá bem!" Ele ficou onde estava! Não foi.

Simples! Deus falou não. É NÃO!
Filho maduro não precisa perguntar: Porque?
Simplesmente Isaque obedeceu.
Simplesmente naquele mesmo ano Deus prosperou Isaque a 100 por 1.

A obediência do filho, a dependência do filho, a confiança do filho gera bênçãos, provisão, liberações sobrenaturais, simplesmente por confiar e depender.

Esta dualidade de posições dentro da casa do Patriarca nos ensina demais. Enquanto Rebeca tentava fazer coisas para que as promessas de Deus se cumprissem, Isaque simplesmente obedecia, confiava e esperava...

Logo diante da Prosperidade do Patriarca, os inimigos se levantam e começam a entulhar os poços de água abertos por Isaque. Qual a reação de filho da Promessa: "Tá bem! Não vou brigar por isso... Isaque deixa este poço entulhado e vai para outro; novamente entulham o poço que Isaque abrira, e ele novamente deixa pra lá... Ele não briga pro nada. Tudo na vida do Filho coopera para o seu bem...

Os dois primeiros poços Isaque chamou-os de Sitna e Esseq (Briga, Inimizade e Contenda). Isaque deixa pra lá, ele deixa este tipo de situação e segue em frente até que vai a um lugar onde ninguém mais vem contender com ele e então Isaque chama este lugar de Rehovot (Reobote), palavra no plural para Lugares Amplos. O filho da Promessa deixa a inimizade e a contenda e Deus o conduz a Lugares Amplos... Muitas pessoas chegam até aí, e quando superam dificuldades, e quando prosperam e quando lutas que enfrentavam ficam para trás, amam os lugares amplos e permanecem aí, como se fora tudo o que Deus tem para sua vida, mas, Isaque não parou no lugar amplo e foi até BEER SHEVA (O Poço do 7).

Foi em Beer Sheva (O Poço do 7), que Abraão fez uma Aliança com o rei dos filisteus, e ali Abraão deu 7 ovelhas, quando cavou este poço e ali plantou Tamareiras. Isaque segue os passos de seu pai, ele continua a imitar em tudo o que via Abraão fazer e então descobre em seus dias O poço de águas vivas, cavado por seu pai e descoberto por ele. 

Neste lugar, no Lugar PERFEITO DE DEUS (O Número 7 nos lembra do SHABAT, que Deus tomou para si e o Santificou. "O Sétimo é do Eterno"), os inimigos que no passado se levantaram contra Isaque, o procuram para fazer com ele aliança. "Assim se faz ao homem a quem O Rei deseja honrar"...  Estas palavras ditas por ordem do Rei Assuero a Haman, para que este declarasse sobre o judeu Mordecai, nos faz voltar a pensar que destino tão diverso teve Jacó e seus descendentes, bem como Esaú e seus descendentes...

Vemos nesta Parashá que Esaú era amado por seu pai, porque caçava bem.
Jacó era amado por sua mãe. 

Um amado pelo que faz, outro pelo que é. A atitude de Rebeca ajudando Jacó a enganar o pai, gera tanta amargura em Esaú, que por vingança toma mais que uma mulher, e entre elas uma ismaelita, de quem viria um neto seu chamado Amaleque.

Pois séculos depois os descendetes de Esaú, covardemente e cruelmente atacam os filhos de Jacó no deserto quando Deus declara que de geração em geração haveria guerra contra Amaleque, filho de Esaú...

As atitudes que temos vão afetar as nossas gerações muito depois de nossas vidas terem chegado ao fim. Algumas serão afetadas para a Vida e Bênção, outras para a Morte e Destruição.

Desta maneira Deus através do Profeta Malaquias (Malachi), confronta os filhos de Arão, os descendentes marcados pela honra de oficiarem a Deus, de invocarem O Seu Nome, de não terem herança natural, pois a herança destes é O Próprio Deus. 

O Eterno chega a dizer que por conta do O Seu Nome não ser honrado nas gerações de Sacerdotes, as bênçãos que eles fizerem, Deus transforará em Maldições. Deus pede para que fechassem O Templo, pois suas ofertas eram abomináveis Diante de Deus. O coração deles não estava em Deus.

Vemos Jesus entristecer-se com seus discípulos por não poderem repreender um demônio que assolava um rapaz, e algumas pessoas impedindo que as crianças chegassem até O Mestre para que este impusesse as mãos sobre elas. Jesus diz que alguém que levar ao escândalo estes pequeninos era melhor que se lançasse no mar com uma Pedra de Moinho amarrada ao pescoço. 

Há muitas pessoas achando que por serem filhos de Abraão, por serem judeus, por serem cristãos, por serem desta ou daquela igreja, serão salvos. Alguns no entanto, ao dormir muitas vezes, ao acordar, em momentos do seu dia a dia se perguntam: Será que eu sou salvo mesmo? 

Um doutor da Lei, vai até Jesus, com uma dúvida terrível: "Que farei para herdar a Vida Eterna?"

A Paz de Isaque, o filho da Promessa. A Certeza daquele que foi cuidado, conduzido, amado, protegido, prosperado, ajudado, distinguido, eleito é o que pode fazer toda a diferença nas Gerações. 

Enquanto a figura de Abraão, O Pai de Nações, nos remete ao Nosso Deus, Bendito seja O Seu Glorioso Nome! Isaque nos remete à Yeshua, que perante os seus tosquiadores, não abriu a sua boca. Aquele que não fazia nada por si só, mas, somente aquilo que via O seu Pai realizar. Aquele que disse: "Se possível for, passa de mim este cálice, mas, não seja feita a minha vontade, mas, A Tua".
Aquele que mesmo que O Pai, não lhe respondeu, quando bradou: "Eli Eli lamá Azavtani?" continuou a falar, pois sabia que por sua obediência estava fazendo A Vontade de quem O havia Enviado. Então, mesmo sem obter resposta Yeshua,continuou falando e bradou: "Pai, está consumado! A Ti entrego o meu espírito."

"De pedras", falou O Eterno, Ele poderia fazer filhos para Abraão, e isso quer dizer que são as nossas atitudes que podem ou não gerar O Favor de Deus em nossas vidas e fazer com que TOLEDOT, as nossas gerações possam ser marcadas por bênçãos ou maldições...

Como Josué disse ao povo diante dos montes Ebal e Guerizim: "Escolham a Vida e vivam!"

DELE POR ELE E PARA ELE SÃO TODAS AS COISAS... A Ele, pois, A Glória Eternamente! Amém.


KI MITZION TETZSEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)


Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

domingo, 8 de novembro de 2015

Eu levo o Brasil nos ombros


Deus nos chama de Sacerdotes.
Somos um reino de sacerdotes.
Sobre os ombros do Sumo Sacerdote, havia duas pedras de Ônix, onde estavam escritos os nomes das doze tribos de Israel.
Também sobre o seu coração havia uma peça de sua vestimenta, chamada de Peitoral do Juízo, onde estavam encrustradas 12 pedras preciosas e sobre as pedras escritos novamente o nome das doze tribos de Israel.

Cada vez que o Sumo Sacerdote se apresentava diante de Deus, precisava esta assim paramentado, com todas as peças de sua roupa, e isso nos remete a um pastor de ovelhas, que levava muitas vezes uma ovelha desgarrada, ou uma ovelha que precisava de um cuidado especial sobre os ombros...

Sim há uma responsabilidade nossa para com as pessoas que Deus confia ao nosso redor, como nossa própria família, parentes, amigos, irmãos nas congregações onde frequentamos, pessoas com quem trabalhamos e estão sob nossa autoridade, ou ainda pessoas que estão sobre a nossa vida como autoridades, sejam na empresa onde trabalhamos, sejam governandes de nossas cidades, estados ou nação... Entre as funções sacerdotais, A INTERCESSÃO, é uma responsabilidade sem a qual não podemos nos apresentar diante de Deus. É como se não fôssemos aceitos em Sua Presença, se não cumprissemos a função de levarmos as pessoas como sobre os nossos ombros diante do Criador dos Céus e da Terra.

Assim sentimos que precisamos como cristãos nesta nação, nos apresentarmos Diante do Nosso Deus, levando O Nosso Brasil, levando as famílias do nosso povo, levando a nossa nação que é tão rica, tão abençoada, tão grande e que tornou-se motivo de escárnio e de zombaria em todo mundo, pela corrupção como nunca se viu antes; pela crise institucional, política, econômica e social que vivemos.

Os sacerdotes não podiam apenas levar os nomes das tribos de Israel, como um peso. Não é apenas pela responsabilidade que temos... TEM QUE SER POR AMOR. Por esta razão os nomes das doze tribos também estavam sobre o coração do Sacerdote, pois ele fazia parte daquele povo, eram os seus irmãos.

Assim temos que clamar e clamar para Aquele que pode nos ouvir e tem poder para mudar a nossa sorte. Temos que clamar nos arrependendo de nossos pecados, porque não são "ELES", somos "NÓS". Os pecados que temos cometido são do nosso povo contra o Deus vivo, e assim como o Juízo de Deus pode afetar a toda a nação, a Bênção do Deus de Amor, pode restaurar e abençoar todo o nosso povo.

O Mar de Lama que te corrido do coração do Brasil, (as Minas Gerais), e que tem chegado até O Espírito Santo, tem que ser interpretado por todos nós, como um sinal de que precisamos fazer algo!

Quando O Grande Rei Salomão foi inaugurar O Templo Suntuoso que tinha construído ao Nosso Deus, por desejo de David, seu pai, o Rei de Israel disse a Deus: 

"Se o céu se fechar e não houver chuva, por terem pecado contra ti; se orarem, voltados para este lugar, e confessarem o teu nome, e se converterem dos seus pecados, quando tu os afligires, ouve então do céu, e perdoa o pecado dos teus servos,...
Se houver na terra fome ou peste, se houver crestamento ou ferrugem, gafanhotos ou lagarta; se os seus inimigos os cercarem nas suas cidades; seja qual for a praga ou doença que houver;...
Se o teu povo sair à guerra contra os seus inimigos, seja qual for o caminho por que os enviares, e orarem a ti,...
Se pecarem contra ti (pois não há homem que não peque), e tu te indignares contra eles, e os entregares ao inimigo, de modo que os levem em cativeiro para alguma terra, longínqua ou próxima; se na terra para onde forem levados em cativeiro caírem em si, e se converterem, e na terra do seu cativeiro te suplicarem, dizendo: Pecamos, cometemos iniqüidade, procedemos perversamente; se eles se arrependerem de todo o seu coração e de toda a sua alma,.." (Trechos de 2Cr 6:26-38)

ao que Deus lhe respondeu:

"e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, então eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra." (2Cr 7:14)

É claro que existe solução para O Brasil. Esta solução está em Deus.

Nestes dias um deputado federal, cristão, ousadamente falou de Deus, na Casa do Povo, o Congresso Nacional. Ele citou a resposta de Deus ao clamor de Salomão e citou 7 verbos usados nesta resposta. 4 verbos (4 ações que dependem de nós).

Humilhar. Reconhecer que precisamos Dele; que fizemos tudo errado; que confiamos em pessoas que não eram dignas; que não somos melhores do que os que fizeram tantas coisas erradas; que não há nenhum bom sequer, nem entre os que não se importam com Deus, e nem entre os que são chamados pelo Seu Nome... Todos pecamos, todos precisamos de Sua Misericórdia e Perdão.

Orar. Orar não é falar bonito, é falar com Deus. É abrir o coração crendo que O Deus invisível é Real; e que Ele Ouve o Nosso Clamor e do Alto dos Céus, do Lugar da Sua habitação Ele pode nos responder e mudar a situação caótica na qual estamos atolados.

Buscar. Ele não está longe, ou se escondeu tão bem que não possamos achá-lo. Pelo contrário, como um pai que brinca com o filho de pique-esconde, o desejo do Pai, é que o filho lhe ache logo e lhe pendure no pescoço. Deus premia aqueles que O Buscam! O Prêmio é achá-lo.

Desviar. Abandonar os maus caminhos, se arrependender dos maus caminhos, não apenas reconhecer que fizemos tudo errado, tomar atitudes para que deixemos de praticar o que nos levou até este buraco. Arrepender-se não é apenas descobrir que você está indo para o lugar errado. Não é apenas reconhecer e ficar bravo consigo mesmo por este erro. É parar, dar meia volta e seguir no sentido contrário, voltar para a direção certa. Tomar atitudes para que a cada passo, a cada kilómetro percorrido, mais se aproxime do que é certo e mais fique distante do que era errado.

OUVIR. PERDOAR. SARAR. Deus não é surdo, ele escuta todas as nossas orações, mas, assim como nós que também não somos, escutamos muitas vezes Ele falar conosco, mas, não temos uma atitude de mudança. Deus quando ouve, quer dizer que está disposto a Agir, a mudar a situação.

O Nosso problema era com Deus. e Por isso, muitos esperam a Cura, mas, sem O Perdão, não há mudança! O problema não foram os erros que cometemos, eles apenas são frutos de termos abandonado a Deus, de tocarmos a nossa vida como se Deus não existisse ou como se Sua Vontade e Palavra fossem desprezíveis.

Muitos querem a cura, o milagre, as bênçãos, a restauração, mas, nada destas coisas nunca estará na frente do Perdão. Se clamarmos a Deus, sem esta dimensão, é porque ainda não entendemos e talvez fiquemos um pouco mais nesta situação onde estamos, ou talvez ainda as coisas piorem um pouco mais, porque precisamos nos ARREPENDER, para que Deus possa nos PERDOAR.

Vamos juntos então. Isso não é trabalho de uma pessoa, ou um grupo apenas. Nós somos O Corpo de Cristo e está escrito: "CRISTO EM VÓS, ESPERANÇA DE GLÓRIA". É Deus em nós, em nossas diferenças, em nossas dificuldades de nos entendermos, de concordarmos, mas, no reconhecimento que precisamos totalmente Dele e precisamos uns dos outros. Na constatação que sem Deus nós nada podemos fazer. Não há um herói em nosso meio, a não ser Jesus, que na humlhação da Cruz, cumpriu a Vontade do Pai para que fossemos perdoados e transformados. A ELE TODA A GLÓRIA!

DEUS SARA A NOSSA NAÇÃO!

Paulo de Tarso, Apóstolo 
Igreja Apostólica Betlehem

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

CHAYIÊ SARAH


(Imagens da Caverna de Macpelah nos nossos dias - Minha viagem de 2012)

CHAYIÊ SARAH - A VIDA DE SARAH

Gênesis 23: 1 a 25: 18
II Samuel: 24:18 a 24: 25 e I Re. 1: 1 a 31
Jo. 12: 1 a 8 e Atos 2: 16 a 2: 47 e 4: 1 a 31

A Bíblia não conta muitos detalhes sobre o que envolve a morte de Sarah. Há na tradição judaica muitas estórias, que tentam demonstrar pela sequencia de fatos narrados na Torah o que pode ter levado a PRINCESA (SARAH), "A Mãe de Nações", à morte. A dor de Abraão, o zelo com que ele cuida do lugar de seu sepultamento são os fatos que foram destacados no momento de sua morte.
Há muitas suposições que são bastante curiosas, pois parece que a morte de Sarah se dá exatamente após a decisão de Abraão de obedecer a Deus, levando seu filho para ser oferecido como Holocausto. Quero me ater no entanto ao que A Palavra de Deus destaca do momento da morte de Sarah. O que é certo é que Abraão não estava com ela no momento de sua morte e quando chega à região de sua morte, procura os donos da Terra, para que ali pudesse sepultá-la, honrá-la e chorar por ela.

Faz parte da tradição judaica crer que na Caverna de MACPELAH (Caverna Dupla - Haviam dois níveis, como dois andares neste lugar), estavam os corpos de Adão e Eva.

A região chamava-se KIRIAT ARBA (Cidade dos 4), e também há muitas suposições acerca dos nomes e dos habitantes deste local. É certo que ali habitaram os gigantes (Anakins). Arba (palavra para o número 4), pode ter sido o pai dos gigantes Sheshai, Achiman e Talmai, e daí novamente o número 4.

O pai Abraão, vai até os filhos de Hete (Chet), os Hititas, e lhes pede um lugar para que pudesse sepultar sua morta, e imediatamente os hititas reunidos à Porta da Cidade como era costume na antiguidade, local onde se tomavam as decisões, declaram que o Abraão pode tomar aquele lugar para si.

Sarah, por alguma razão habitando mais ao sul, em Beer Sheva, sobe até a região da Caverna de Macpelah, local de sua morte, se havia entre o povo de Deus, uma tradição, de que lá estavam sepultados Adão e Eva, os hititas não atribuiam àquele lugar valor algum, a ponto de imediatamente disporem a terra e a caverna ao pedido de Abraão.

O Patriarca, no entanto insiste em pagar pelo local.
Porque pagar por algo que lhe é dado de graça?

Ele sabendo que o proprietário daquelas terras era o Hitita Efron, pede aos hititas que o trataram com tanta distinção que intercedessem a Efron, para que pudesse adqirir aquele campo e a caverna. Efron estando no meio deles, mais uma vez insiste que aquela propriedade (aparentemente sem valor), poderia ser tomada por Abraão para sepultar sua esposa morta. Abraão insiste por um preço, e é muito engraçado na narrativa bíblica, a maneira que Efron dá um preço, no que ele diz que daria de graça.
Quando fala em 400 Shekalim, Abraão imediatamente pesa o preço em prata e lhe paga. Um valor altíssimo, se pensarmos que o rei Omri pagou só 6000 Shekalim por toda a região de Samaria (I Re. 16:25), e Jeremias pagou 17 Shekalim pelo Campo de Anatote, uma propriedade que era tão grande quanto o Campo de Macpelah.

A Caverna de Macpelah torna-se então a ÚNICA parte da Terra Prometida que Abraão toma posse, com Escritura Registrada e publicada em todas as línguas, e publicada em todos as nações da Terra. Aonde a Palavra de Deus chegou a ESCRITURA DE COMPRA do Campo e da Caverna de Macpelah, tornaram-se conhecidos.

Porque pagar por algo que lhe é dado de graça? Para que se tenha uma Escritura, para que no futuro, NUNCA NINGUÉM POSSA REIVINDICAR O DIREITO DE POSSE PARA AQUILO QUE FOI ADQUIRIDO ATRAVÉS DE UMA ESCRITURA.

Quando séculos depois Josué chega à Região onde então estavam sepultados não apenas Sarah, mas, também Abraão, Isaque, Rebeca, Jacó e Lea, e talvez também Adão e Eva, esta região era possuída e habitada por gigantes.
Calebe, da tribo de Judah, recebeu por sua bravura, como um dos espias, o direito de possuir o Monte Hebron, onde está o Campo e a Caverna de Macpelah. Calebe já de idade avançada ainda era forte para junto com seus filhos subir e possuir aquela terra desapossando os gigantes que ali habitavam. O Pai de todos, Abraão, havia lhes deixado a Escritura, e não há quem possa resistir quando os herdeiros com a Escritura chegam a uma propriedade. O Juiz Eterno certamente enviou seus "Oficiais de Justiça", os anjos, para juntamente com Calebe e seus filhos desapossarem não só os gigantes físicos, mas, também os demônios que ali habitavam, como que querendo reter aquilo que é de DIREITO LEGAL, POR ESCRITURA PROMULGADA E PUBLICADA.

Um dia o descendente de Abraão, o nosso pai, foi ali em Hebron ungido Rei. Por 7 anos naquele lugar, que era o único pedaço de chão de toda a Terra Prometida, que pertencia a Abraão no dia de sua morte, ainda por que, por bom preço ele a tenha comprado, seu descendente David reinou. Por isso, ele é chamado de O Pai da Fé, pois ele se movia pelo que cria, ele agia segundo a Palavra do Eterno em Sua Vida, ele de longe viu seu descendente O MASHIACH, o saudou mas, não viu o cumprimento de tão gande promessa.

Mesmo assim ele em vida, adquiriu aquele lugar onde David no futuro seria coroado Rei, para depois ser levado até Jerusalém para ser aclamado Rei sobre toda a nação unificada de Israel.

Uma das últimas narrativas conhecidas sobre o Rei David é que ele depois de ter pecado contra Deus, orgulhando-se de seus exércitos poderosos e fazendo um censo sem a direção de Deus, demonstrando confiança no número de seus soldados, mais do que no Braço Forte do Eterno.
Quando a praga cai sobre o povo de Deus, como punição pelo pecado de David, o Rei segundo o coração de Deus se arrepende profundamente, e sob a direção do Profeta vai até Araúna para comprar-lhe a Eira (o lugar alto), que era de sua propriedade.

A eira de Araúna, o Lugar Alto no Monte Moriah, era nada mais nada menos do que a Rocha Ariel, lugar onde os judeus acreditam ter O Eterno tomado pó da Terra para fazer o ser humano. Lugar onde outrora O Patriarca Jacó, derramou azeite sobre uma Pedra que levanta como coluna para dizer: Aqui será edificada a Casa de Deus; Foi ali que Abraão entregara dízimos a Melech Tsedek (O Rei de Justiça)... Naqueles dias... Apenas um lugar alto... Um lugar onde a terra era trabalhada para o cultivo.

Perto dali o Monte Tzion (Sião), a Cidade de David, a Fonte do Gihon, onde em pouco tempo Salomão seria coroado Rei, local onde David edificou O Tabernáculo e para onde transportara a Arca da Aliança... Estes eram lugares importantes e famosos naqueles dias... A eira de Araúna, era apenas a eira de Araúna.

Araúna, quando vê chegar O Rei David e seus homens, vai até ele e reverentemente se prostra e ao saber das intenções do Rei, lhe entrega não só o terreno, mas, também bois e os aparelhos para lenha para que os sacrifícios que o Rei desejava fazer fossem realizados... David, como O Pai Abraão não aceita aquele lugar de graça.

Porque pagar por algo que lhe é dado de graça?

"Eu não darei ao meu Deus algo que não me custe nada". Foi esta a decisão de David. O Rei segundo o coração de Deus, estava como O Pai Abraão, celebrando uma Escritura que foi LAVRADA E PUBLICADA há TRÊS MIL ANOS ATRÁS.

Naquele lugar, seu filho Salomão edificou uma Casa ao Nosso Deus. A Glória do Eterno se manifestou naquele lugar, quando aquela Casa foi consagrada. Uma glória maior se viu, neste mesmo lugar, quando O Filho de David, YESHUA, foi consagrado aos 40 dias de vida, época em que Simeão declarou:

"Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, segundo a tua palavra; pois os meus olhos já viram a tua salvação, a qual tu preparaste ante a face de todos os povos; luz para revelação aos gentios, e para glória do teu povo Israel." (Luc 2:29-32)


Um dia vem, e já está perto, em que YESHUA, neste lugar COMPRADO por David seu pai, reinará sobre todas as nações da Terra. O que aparentemente não tinha importância, David dá muita importância. Assim, foi com O Pai Abraão que pagou 4 vezes mais que David pela eira de Araúna, pagando o Rei 50 Shekalim.

No Ano de 2012, levei um grupo a Israel, e um sonho antigo meu tornou-se realidade. Eu sonhava conhecer a Caverna de Macpelah em Hebron. Foi muito difícil chegar ali, pois está no meio de terras hoje dominadas pela Autoridade Palestina. Uma comunidade de heróis judeus ainda vivem ali, numa tensão constante. Foi um dos lugares mais terríveis que já fui em minha vida, pois os gigantes narrados nas escrituras ainda estão ali. Se percebe o mundo espiritual da Maldade dominando aquela região. O ódio com que somos olhados desde as crianças que pedem esmolas, como se fosse uma obrigação e quando lhe damos um pedaço de lanche ou um refrigerante os jogam no chão, como quem diz: "Não queremos a sua compaixão, queremos matar vocês!". 
No dia anterior à nossa ida, um soldado israelense foi esfaqueado, ali na porta da Caverna de Macpelah. Nestes dias terríveis em que vivemos (ano de 2015), temos ouvido muitos relatos de ataques à população judaica e aos soldados israelenses que tem cuidado da segurança da Caverna de Macpelah. 
Assim como o Monte do Templo e Caverna de Macpelah está sob a autoridade Judaica, mas, eles permitem que os mulçumanos que construiram mesquitas nos dois lugares possam continuar manifestando sua fé ao seu deus sanguinário.

Os dois lugares pertencem ao Povo Judeu, pois O Pai Abraão e O Rei David, compraram por preço justo, e a Escritura foi Lavrada, sendo promulgada em todas as linguas do Mundo e as cópias destas Escrituras estão em cada lugar que já foi visitado pelo homem.

David morreu, e ainda hoje há muitas dúvidas sobre o local de sua sepultura. Era comum na antiguidade, e entre os reis de Judah, que todos fossem sepultados dentro de sua Cidade. A Cidade de David, Ir David, que hoje é o sítio arqueológico mais escavado e estudado do mundo, não revelou ainda o possível lugar do túmulo do Rei David, coisa que causa bastante estranheza.
Há no entanto no Monte Tzion (Sião), um lugar sagrado, visitado por pessoas do mundo todo, onde 24 horas por dia judeus religiosos rezam, pois ali é conhecido como o Túmulo do Rei David. Logo acima deste lugar há o Upper Room (O Lugar Alto), O Terraço, onde tradicionalmente foi celebrado O Pêssach de Yeshua com seus discípulos, local também onde cerca de 120 homens e mulheres permaneceram até que na Manhã da Celebração de Shavuot (Pentecostes), O Espírito Santo se derramou sobre todos.
Acredita-se que este lugar era a Casa da Mãe de João Marcos, local que teria tremido, quando lembrando as Palavras de David, os discípulos de Yeshua, clamaram a Deus, pelas ameaças que estavam sofrendo para que o Evangelho não fosse pregado. Pedro mesmo em seu discurso, quando mais de 3000 homens se convertem e são batizados, lembra que ali, no meio deles... No meio daqueles simples visitantes de Jerusalém, estava O Túmulo do Grande Rei...

David, não se importou em construir um Mausoléu, para sua sepultura, mas, fez tudo o que pode em sua vida para que Uma Casa fosse edificada ao Deus que não habita em casas feitas por mãos humanas. Deus amou tanto a David, a ousadia e o desejo de ter Deus perto de si foi tão grande que no dia da inauguração da Casa, Deus se manifesta e entra na casa para honrar o desejo de seu amado, DAVID HAMELECH. Ele, David, fez o que pode, para que O Seu Senhor, O MASHIACH BEN DAVID, pudesse um dia reinar naquele lugar...

Uma dia uma mulher ungiu os pés de Jesus (Yeshua), com um perfume caríssimo e ainda quebrou o frasco, e Judas que era um ladrão e ainda outros de seus discípulos recriminaram aquela mulher porque diziam que ela estava disperdiçando algo de um valor muito grande. Jesus no entando disse, que ela estava fazendo aquilo, para prepará-lo para a sepultura. Jesus disse que aonde O Evangelho fosse pregado em todo mundo, o que aquela mulher fez seria contado como um Memorial por sua ação para com O Senhor.

Quando as mulheres foram na manhã do domingo até o sepulcro onde estava Jesus, não o acharam, elas iam até aquele lugar para perfumar-lhe o corpo, mas, ele havia ressuscitado!!!! ALELUIA!!!!!!

O que para os discípulos e para Judas era um disperdício era o maior senso de oportunidade e valor que aquela mulher estava dando para O SENHOR. Ela não desperdiçou a CHANCE DE ADORAR O SENHOR, ela investiu tudo o que tinha nisto...

Abraão, David, Maria... Valorizaram a Deus, e fizeram o que puderam para que a vida deles fosse adoração ao que Vive e Reina para sempre...

Quantas oportunidades temos e consideramos desprezível o que é precioso aos olhos de Deus? Não podemos agir como os hititas, como Araúna e tão pouco como Judas e outros discípulos de Jesus. Temos que ser guiados pelo Deus dos espíritos dos Profetas e fazer hoje "o que pudermos", para não dar a Deus algo que não nos custe...


DELE POR ELE E PARA ELE SÃO TODAS AS COISAS... A Ele, pois, A Glória Eternamente! Amém.



KI MITZION TETZSEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)


Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem