sexta-feira, 17 de novembro de 2017

TOLEDOT - GERAÇÕES



TOLEDOT -  GERAÇÕES

Gênesis 25: 19 a 28: 9
Malaquias 1:1 a 2:7
Marcos 9:14 a 10:31

"São estas as gerações de Isaque, filho de Abraão. Abraão gerou a Isaque;" - (Gênesis - 25:19)

A Palavra Toledot é o plural da Palavra Toldah que quer dizer: geração, descendente, história, memória, crônica.

Deus cumpriu cabalmente a Promessa que fizera ao nosso Pai Abraão, gerando nações de cada um dos filhos que teve. 

De Ismael, seu filho com a escrava Hagar, 12 nações. Os ismaelitas são os antepassados de todos os povos árabes. São os filhos como o Pó da Terra, que Deus prometera a Abraão, bem como os filhos que Abraão teve de Quetura, a mulher que tomou depois da morte de Sarah. De Quetura nasceram 5 filhos, pais de 5 nações. Os midianitas, tão citados na Bíblia, por exemplo. Jetro, sogro de Moisés, que era Sacerdote de Midiã e até o povo Druzo que hoje habita em Israel são reconhecidos como descendentes dos Midianitas e em especial, descendentes de Jetro com quem Moisés fez uma Aliança.

Foi de Isaque, o filho da promessa, que Abraão gerou o povo de Deus. Filhos como a areia da praia, que estão à beira do Mar, que representa as nações... 

E através de Yeshua, Deus cumpriu a Promessa de dar a Abraão filhos como as Estrelas do Céu. Somos filhos de Abraão, somos sua descendência, fazemos parte de suas gerações, mas, históricamente não é filho de Abraão quem nasce seu filho apenas, não é apenas pela oportunidade dada por Deus, de ter sido gerado através da Semente de Abraão, mas, pelo comportamento de viver e agir segundo O Nosso Pai, que por Fé (EMUNAH), agradou a Deus.

Parece que o único que não quis ser filho de Abraão foi Lot (Palavra que quer dizer cobertura), pois ele apenas queria beneficiar-se de ser próximo a alguém tão importante e distinto. Resultado: Ló apartou-se de Abraão e com o pecado de Incesto, gerou filhos em suas filhas, que tornaram-se pais de nações que sempre odiaram o povo de Deus e tornaram-se por isso, palha para o fogo em suas gerações.

Já os que são filhos de Abraão, da mesma sorte, todos os que nasceram em sua casa foram marcados. Ismael e seus descendentes, assim como Isaque e seus descendentes, na carne através da Circuncisão do prepúcio dos meninos, aos 13 anos (os Ismaelitas), e aos 8 dias os descendentes de Israel. 
A circuncisão na carne sempre apontou para algo muito mais importante que é a circuncisão no coração, sendo que a primeira não gera proveito sem a segunda, e os filhos de Abraão como as estrelas dos Céus, gerados através de Yeshua, da mesma maneira, se não tiverem o sinal da Circuncisão, não tem parte com o Deus de Abraão de Isaque e de Israel. Sinal este que só O Eterno pode ver, pois só Ele conhece o nosso coração.

Nas gerações, é incrível, como pessoas nascem do mesmo ventre, bebem do mesmo leite, comem do mesmo pão, aprendem as mesmas coisas, mas, tomam atitudes completamente diferentes... Uns tornam-se marcos em suas Gerações como Heróis da Fé, outros geram abominações que depois de séculos continuam a gerar destruição.

Assim também são as gerações de Isaque, filho de Abraão.

Isaque precisou orar por sua esposa Rebeca, pois esta era estéril. Curiosamente sua esposa veio da mesma região e da mesma casa que os antepassados de seu pai Abraão, um povo idólatra de onde Deus sacou O Pai Abraão. 

Assim como Sarah, mãe de Isaque e Raquel mulher de seu filho Jacó, todas eram estéreis. 

Isaque deparou-se com uma das consequências terríveis da idolatria que é a esterilidade. Está escrito na Torah, que no meio do povo de Deus, não haveria mulher estéril e nem quem abortasse (Ex. 23:26). 

Todas as mulheres que durante um tempo viveram em tal situação, semelhante a um período de seca na Terra de Israel, quando deram à Luz, geraram filhos para bênção e para a Glória de Deus a saber: Sarah a Isaque; Rebeca a Jacó; Raquel a José; A mãe de Sansão (A Bíblia não cita seu nome); Ana a Samuel; Isabel a João, e outras...

Quando Rebeca viu-se grávida, usou de uma das prerrogativas de ser Nora do Nosso Pai Abraão, o amigo de Deus. De alguma maneira Rebeca sabia como consultar O Senhor, ela aprendeu através do relacionamento de seu Sogro e marido, que O Eterno está perto daqueles que O buscam. E percebendo que havia algo errado dentro de seu ventre Rebeca busca a Face de Deus, e obtém resposta, que dentro de seu ventre havia duas nações. Também ouviu do Eterno que o mais velho serviria o mais novo.

COMO ALGUÉM PODE GERAR UMA DESTRUIÇÃO COM UMA REVELAÇÃO DE DEUS?

Infelizmente percebemos que A Revelação de Deus, o fato de Deus ter mostrado a Rebeca o que estava acontecendo em seu ventre e o que viria a ocorrer no futuro com YACOV (Jacó, o segundo a sair de seu ventre), no lugar de gerar segurança, paz, fez com que Rebeca tivesse uma predileção por Jacó, que era O Amado e o Escolhido de Deus.
Rebeca como que querendo ajudar a Deus, gera dentro de sua própria casa um ambiente de disputa, de competição que acaba por arruinar esta família. 

Nos parece que não havia outro assunto naquela casa que não fosse a Primogenitura e o que Deus disse que faria. E esta Promessa de Deus foi conquistada não do jeito de Deus (que nós nunca saberemos como seria), mas, através de mágoas, de feridas e destruição de relacionamentos, pois alguém recebeu revelação de Deus, e usou isso de forma humana e destrutiva...

Enquanto isso, há um OÁSIS nesta Parashá, que justamente é o contrário da atitude de Rebeca, que tentou fazer algo para que A Vontade de Deus fosse bem sucedida... Deus não precisa de ajuda! 

Isaque, o filho da Promessa. Se há alguém na Bíblia que precisamos imitar é este Patriarca que nos ensina a ser FILHOS.

Isaque, foi gerado por Vontade de Deus, através de um milagre. Havia uma Promessa de Deus, quanto a sua vida, quanto a seu nascimento, e esta ELEIÇÃO DE DEUS, este propósito de Deus conosco, antes mesmo do nosso nascimento, precisa ser lembrado, enxergado, impresso em nossa vida, pois há inúmeras situações pelas quais teremos que passar, e se enfrentarmos tudo como FILHOS, lembrando quem realmente somos, as coisas passarão, mas, jamais as Palavras de Deus à nosso respeito.

Por causa de Isaque, Abraão mandou Ismael seu filho e também a mãe dele, Hagar, embora. Para preservar o filho da Promessa;

Por causa de Isaque, Abraão mandou os 5 filhos que teve com Quetura embora. Para que os filhos não dividissem a herança que Abraão tinha para o filho da Promessa;

Quando Isaque ouviu de Abraão que Deus providenciaria O Cordeiro para O Sacrifício, Isaque disse: Tá bem! Porque ele era o filho da Promessa;

Quando Abraão disse: Filho O Sacrifício é você, Isaque disse: Tá bem! Ele se deixou amarrar por mãos e pés e ser colocado sobre um Altar, e Isaque ainda viu o cutelo se levantar sobre a sua cabeça, para em seguida, ouvir O Anjo do Eterno bradar a seu pai, não toques no menino... Ele é o filho da Promessa;

Quando Sarah morreu, Abraão, manda um servo buscar uma moça dentro de sua parentela para que se casasse com seu filho Isaque, (nem com mulher ele precisou se preocupar, Deus preparou uma pra ele), porque ele era o filho da Promessa;

Quando percebeu que sua mulher era estéril, Isaque orou e o ventre de sua mulher se abriu, porque ele era o filho da Promessa...

Tudo parecia fácil e "de mão beijada", para Isaque, ora, ele era o filho da Promessa!!! ALELUIA!!!!!!!

Um momento muito delicado porém ocorreu quando houve fome na Terra de Israel, como nos dias de Abraão seu pai, e o mesma decisão equivocada de Abraão de ir ao Egito, Isaque intentou imitar. 

Até nisto vemos um relacionamento absolutamente tremendo, em que o filho imita tudo o que o pai faz (até os defeitos), como foi no caso em que mentiu ao rei dos filisteus sobre ser Rebeca sua esposa, coisa que o seu pai fizera por duas vezes. No entanto, Deus intervém nesta situação, quando Isaque quis ir ao Egito,  pois Isaque é o filho da Promessa, e o Lugar do Filho da Promessa é na Terra Promessa!

Deus aparece para Isaque e diz: "Não desças ao Egito."
Resposta de Isaque: "Tá bem!" Ele ficou onde estava! Não foi.

Simples! Deus falou: Não. É NÃO!
Filho maduro não precisa perguntar: Porque?
Simplesmente Isaque obedeceu.
Só por causa disso, Simples assim, naquele mesmo ano Deus prosperou Isaque a 100 por 1.

A obediência do filho, a dependência do filho, a confiança do filho gera bênçãos, provisão, liberações sobrenaturais, simplesmente por confiar e depender.

Esta dualidade de posições dentro da casa do Patriarca nos ensina demais. Enquanto Rebeca tentava fazer coisas para que as promessas de Deus se cumprissem, Isaque simplesmente obedecia, confiava e esperava...

Logo diante da Prosperidade do Patriarca, os inimigos se levantam e começam a entulhar os poços de água abertos por Isaque. Qual a reação de filho da Promessa: "Tá bem! Não vou brigar por isso... 

Isaque deixa este poço entulhado e vai para outro; novamente entulham o poço que Isaque abrira, e ele novamente deixa pra lá... 

Ele não briga pro nada. Tudo na vida do Filho coopera para o seu bem...

Os dois primeiros poços Isaque chamou-os de Sitna e Esseq (Briga, Inimizade e Contenda). Isaque deixa pra lá, ele deixa este tipo de situação e segue em frente até que vai a um lugar onde ninguém mais vem contender com ele e então Isaque chama este lugar de Rehovot (Reobote), palavra para "Lugares Amplos." 

O filho da Promessa deixa a inimizade e a contenda e Deus o conduz a Lugares Amplos... Muitas pessoas chegam até aí, e quando superam dificuldades, e quando prosperam e quando lutas que enfrentavam ficam para trás, amam os lugares amplos e permanecem aí, como se fora tudo o que Deus tem para sua vida, mas, Isaque não parou no lugar amplo e foi até BEER SHEVA (O Poço do 7).

Foi em Beer Sheva (O Poço do 7), que Abraão fez uma Aliança com o rei dos filisteus, e ali Abraão lhe deu 7 ovelhas, (de onde vem o nome do poço). Quando cavou este poço e ali plantou Tamareiras, cujos ramos são símbolo do Louvor ao Mashiach que haveria de vir. Isaque seguia sempre os passos de seu pai. 

Ele continua a imitar em tudo o que via Abraão fazer e então descobre em seus dias O poço de águas vivas, cavado por seu pai e descoberto por ele. 

Neste lugar, no Lugar PERFEITO DE DEUS (O Número 7 nos lembra do SHABAT, que Deus tomou para si e o Santificou. "O Sétimo é do Eterno"), os inimigos que no passado se levantaram contra Isaque, o procuram para fazer com ele aliança. "Assim se faz ao homem a quem O Rei deseja honrar"...  Estas palavras ditas por ordem do Rei Assuero a Haman, para que este declarasse sobre o judeu Mordecai, nos faz voltar a pensar que destino tão diverso teve Jacó e seus descendentes, bem como Esaú e seus descendentes...

Vemos nesta Parashá que Esaú era amado por seu pai, porque caçava bem.

Jacó era amado por sua mãe. Um amado pelo que faz, outro pelo que é. 

A atitude de Rebeca ajudando Jacó a enganar o pai, gera tanta amargura em Esaú, que por vingança toma mais que uma mulher, e entre elas uma ismaelita, de quem viria um neto seu chamado Amaleque.

Pois séculos depois os descendetes de Esaú, covardemente e cruelmente atacam os filhos de Jacó no deserto quando Deus declara que de geração em geração haveria guerra contra Amaleque, filho de Esaú...

As atitudes que temos vão afetar as nossas gerações muito depois de nossas vidas terem chegado ao fim. Algumas serão afetadas para a Vida e Bênção, outras para a Morte e Destruição.

Desta maneira Deus através do Profeta Malaquias (Malachi), confronta os filhos de Arão, os descendentes marcados pela honra de oficiarem a Deus, de invocarem O Seu Nome, de não terem herança natural, pois a herança destes é O Próprio Deus. 

O Eterno chega a dizer que por conta do O Seu Nome não ser honrado nas gerações de Sacerdotes, as bênçãos que eles fizerem, Deus transforará em Maldições. Deus pede para que fechassem O Templo, pois suas ofertas eram abomináveis Diante de Deus. O coração deles não estava em Deus.

Vemos Jesus entristecer-se com seus discípulos por não poderem repreender um demônio que assolava um rapaz, e algumas pessoas impedindo que as crianças chegassem até O Mestre para que este impusesse as mãos sobre elas. Jesus diz que alguém que levar ao escândalo estes pequeninos era melhor que se lançasse no mar com uma Pedra de Moinho amarrada ao pescoço. 

Há muitas pessoas achando que por serem filhos de Abraão, por serem judeus, por serem cristãos, por serem desta ou daquela igreja, serão salvos. Alguns no entanto, ao dormir muitas vezes, ao acordar, em momentos do seu dia a dia se perguntam: Será que eu sou salvo mesmo? 

Um doutor da Lei, vai até Jesus, com uma dúvida terrível: "Que farei para herdar a Vida Eterna?"

A Paz de Isaque, o filho da Promessa. A Certeza daquele que foi cuidado, conduzido, amado, protegido, prosperado, ajudado, distinguido, eleito, é o que pode fazer toda a diferença nas Gerações. 

Enquanto a figura de Abraão, O Pai de Nações, nos remete ao Nosso Deus, Bendito seja O Seu Glorioso Nome! Isaque nos remete à Yeshua, que perante os seus tosquiadores, não abriu a sua boca. Aquele que não fazia nada por si só, mas, somente aquilo que via O seu Pai realizar. 

Aquele que disse: "Se possível for, passa de mim este cálice, mas, não seja feita a minha vontade, mas, A Tua".

Aquele que mesmo que O Pai, não lhe respondendo quando bradou: "Eli Eli lamá Azavtani?" continuou a falar, pois sabia que por sua obediência estava fazendo A Vontade de quem O havia Enviado. Então, mesmo sem obter resposta Yeshua, continuou falando e bradou: "Pai, está consumado! A Ti entrego o meu espírito."

"De pedras", falou O Eterno a Moisés, Ele poderia fazer filhos para Abraão, e isso quer dizer que são as nossas atitudes que podem ou não gerar O Favor de Deus em nossas vidas e fazer com que TOLEDOT, as nossas gerações possam ser marcadas por bênçãos ou maldições...

Se infelizmente os que vieram antes de você, não fizeram aquilo que era agradável aos olhos de Deus, lembre-se que o nosso Pai Abraão saiu de sua Terra, de sua Parentela e da Casa de Seu pai, e foi para a Terra da Promessa. Você pode em Yeshua, entrar para as Gerações de Abraão, e através de sua vida, até mil gerações podem ser abençoadas.

Decida abençoar teus filhos e os filhos de teus filhos e as gerações que virão depois deles... DECIDA AGORA!

Sl. 145:4 - "Uma geração louvará a outra geração as tuas obras e anunciará os teus feitos poderosos."



KI MITZION TETZSEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!

(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)

Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

CHAYIÊ SARAH - A VIDA DE SARAH

(Sinagoga de Hebron, construída sobre a Caverna de Macpelah, local comprado por Avraham Avinu (Nosso pai Abraão).

CHAYIÊ SARAH - A VIDA DE SARAH

Gênesis 23: 1 a 25: 18
II Samuel: 24:18 a 24: 25 e I Re. 1: 1 a 31
Jo. 12: 1 a 8 e Atos 2: 16 a 2: 47 e 4: 1 a 31

Gênesis 23: 1 e 2 - "E foi a vida de Sarah cento e vinte e sete anos. Morreu em Kiriat-Arba, que é Hebrom, na terra de Canaã;"

A Bíblia não conta muitos detalhes sobre o que envolve a morte de Sarah. Há na tradição judaica muitas estórias, que tentam demonstrar pela sequência dos fatos narrados na Torah o que pode ter levado a PRINCESA (SARAH), "A Mãe de Nações", à morte. 

A dor de Abraão, o zelo com que ele cuida do lugar de seu sepultamento são os fatos que foram destacados no momento de sua morte, e procurar entender porque Deus os destaca na Torah é um intrigante desafio.

Há muitas suposições que são bastante curiosas, pois parece que a morte de Sarah se dá exatamente após a decisão de Abraão de obedecer a Deus, levando seu filho para ser oferecido como Holocausto. Quero me ater no entanto ao que A Palavra de Deus destaca do momento da morte de Sarah. 

O que é certo é que Abraão não estava com ela no momento em que ela foi recolhida por Deus e no momento em que o Patriarca se depara com esta realidade, imediatamente procura os donos da Terra, para que ali pudesse sepultá-la, honrá-la e chorar por ela.

Faz parte da tradição judaica crer que na Caverna de MACPELAH (palavra que quer dizer: Caverna Dupla), haviam dois níveis, como dois andares, onde estariam os corpos de Adão e Eva.

A região chamava-se KIRIAT ARBA (Cidade dos 4), e também há muitas suposições acerca dos nomes e dos habitantes deste local. É certo que ali habitaram os gigantes (Anakins). Arba (palavra para o número 4), pode ter sido o pai dos gigantes Sheshai, Achiman e Talmai, e daí novamente o número 4.

O pai Abraão, vai até os filhos de Hete (Chet), Hititas, e lhes pede um lugar para que pudesse sepultar sua morta, e os hititas reunidos à Porta da Cidade, local onde se tomavam as decisões na antiguidade, declaram que o Abraão pode tomar aquele lugar para si.

Sarah, por alguma razão habitando mais ao sul, em Beer Sheva, sobe até a região da Caverna de Macpelah, local de sua morte e se  é verdade pela tradição judaica que ali estavam sepultados Adão e Eva, os hititas que governavam a região, não atribuiam àquele lugar valor algum, a ponto de imediatamente disporem da terra e da caverna ao pedido de Abraão.

O Patriarca, no entanto insiste em pagar pelo local.
Porque pagar por algo que lhe é dado de graça?

Ele sabendo que o proprietário daquelas terras era o Hitita Efron, pede aos hititas que o trataram com tanta distinção, que intercedessem a Efron, para que pudesse adquirir aquele campo e a caverna. Efron estando no meio deles, mais uma vez insiste que aquela propriedade (aparentemente sem valor), deveria ser tomada por Abraão para sepultar sua esposa morta. Abraão insiste por um preço, e é muito engraçado na narrativa bíblica, a maneira que Efron dá um preço à propriedade, muito embora ele tenha dito que que lhe daria de graça.

Quando fala em 400 Shekalim (preço sugerido por Efron), Abraão imediatamente pesa o preço em prata e lhe paga. Um valor altíssimo, se pensarmos que o rei Omri pagou só 6000 Shekalim por toda a região de Samaria (I Re. 16:25), e Jeremias pagou 17 Shekalim pelo Campo de Anatote, uma propriedade que era tão grande quanto o Campo de Macpelah.

A Caverna de Macpelah torna-se então a ÚNICA parte da Terra Prometida que Abraão toma posse, com Escritura Registrada e publicada em todas as línguas, e publicada em todos as nações da Terra. Aonde a Palavra de Deus chegou a ESCRITURA DE COMPRA do Campo e da Caverna de Macpelah, tornaram-se conhecidos.

Porque pagar por algo que lhe é dado de graça? Para que se tenha uma Escritura, para que no futuro, NUNCA NINGUÉM POSSA REIVINDICAR O DIREITO DE POSSE PARA AQUILO QUE FOI ADQUIRIDO LEGALMENTE E RECONHECIDO ATRAVÉS DE UMA ESCRITURA.

Quando séculos depois Josué chega à Região onde então estavam sepultados não apenas Sarah, mas, também Abraão, Isaque, Rebeca, Jacó e Lea, e talvez também Adão e Eva, esta região era possuída e habitada por gigantes.

Calebe, da tribo de Judah, recebeu por sua bravura, como um dos espias, o direito de possuir o Monte Hebron, onde está o Campo e a Caverna de Macpelah. Calebe já de idade avançada ainda era forte para junto com seus filhos subir e possuir aquela terra desapossando os gigantes que ali habitavam. 

O Pai de todos, Abraão, havia lhes deixado a Escritura, e não há quem possa resistir quando os herdeiros com a Escritura chegam a uma propriedade. O Juiz Eterno certamente enviou seus "Oficiais de Justiça", os anjos, para juntamente com Calebe e seus filhos desapossarem não só os gigantes físicos, mas, também os demônios que ali habitavam, como que querendo reter aquilo que é de DIREITO LEGAL, POR ESCRITURA PROMULGADA E PUBLICADA.

Um dia o descendente de Abraão, David, foi ali em Hebron ungido Rei. 

Por 7 anos David reina naquele lugar, que era o único pedaço de chão de toda a Terra Prometida, que pertencia a Abraão no dia de sua morte, já que por bom preço ele a comprou.

Por isso, Abraão foi chamado: O Pai da Fé, pois ele se movia pelo que cria, ele agia segundo a Palavra do Eterno em Sua Vida, ele de longe viu seu descendente O MASHIACH, o saudou mas, não viu o cumprimento de tão gande promessa.

Mesmo assim ele em vida, adquiriu aquele lugar onde David no futuro seria coroado Rei, para depois ser levado até Jerusalém para ser aclamado Rei sobre toda a nação unificada de Israel.

Uma das últimas narrativas conhecidas sobre o Rei David é que ele depois de ter pecado contra Deus, orgulhando-se de seus exércitos poderosos e fazendo um censo sem a direção de Deus,  vê o povo sofrer terrivelmente por uma mortandade que cai sobre eles.

Quando a praga cai sobre o povo de Deus, como punição pelo pecado de David, o Rei segundo o coração de Deus se arrepende profundamente, e sob a direção do Profeta vai até Araúna para comprar-lhe a Eira (o lugar alto), que era de sua propriedade.

A eira de Araúna, o Lugar mais alto do Monte Moriah, possuía uma Rocha chamada de Ariel,  lugar onde os judeus acreditam ter O Eterno tomado do pó da Terra para fazer o ser humano. 

Neste mesmo lugar o Patriarca Jacó derramou azeite sobre uma Pedra que levantou como coluna para dizer: Aqui será edificada a Casa de Deus; No mesmo lugar o Pai Abraão entregou dízimos a Melech Tsedek (O Rei de Justiça)... 

Nos dias de David, apenas um lugar alto... Um lugar onde a terra era trabalhada para o cultivo.

Perto dali estavam a Cidade de David, a Fonte do Gihon, onde em pouco tempo Salomão seria coroado rei, local onde David edificou um Tabernáculo e para onde transportara a Arca da Aliança.

Estes eram lugares importantes e famosos naqueles dias... A eira de Araúna, era apenas um lugar alto... A eira de Araúna.

Araúna, quando vê chegar o Rei David e seus homens, vai até ele e reverentemente se prostra e ao saber das intenções do Rei, lhe entrega não só o terreno, mas, também bois e os aparelhos para lenha para que os sacrifícios que o Rei desejava fazer fossem realizados... David, como O Pai Abraão não aceita aquele lugar de graça.

Porque pagar por algo que lhe é dado de graça?

"Eu não darei ao meu Deus algo que não me custe nada". Foi esta a decisão de David. O Rei segundo o coração de Deus, estava como O Pai Abraão, celebrando uma Escritura que foi LAVRADA E PUBLICADA há TRÊS MIL ANOS ATRÁS.

Naquele lugar, seu filho Salomão edificou uma Casa ao Nosso Deus. A Glória do Eterno se manifestou naquele lugar, quando o Templo foi consagrado. Uma glória maior ainda se viu, neste mesmo lugar, quando O Filho de David, YESHUA, foi consagrado aos 40 dias de vida, época em que Simeão declarou:

"Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, segundo a tua palavra; pois os meus olhos já viram a tua salvação, a qual tu preparaste ante a face de todos os povos; luz para revelação aos gentios, e para glória do teu povo Israel." (Luc 2:29-32)


Um dia vem, e já está perto, em que YESHUA, neste lugar COMPRADO por David, seu pai, por 50 Shekalim, reinará sobre todas as nações da Terra. O que aparentemente não tinha importância, David dá muita importância. David que foi ungido rei em Hebron, segue o exemplo do Pai Abraão que comprara Macpelah.

No Ano de 2012, levei um grupo a Israel, e um sonho antigo meu tornou-se realidade. Eu sonhava conhecer a Caverna de Macpelah em Hebron. Foi muito difícil chegar ali, pois hoje este lugar está  no meio de terras hoje dominadas pela Autoridade Palestina. 

Uma comunidade de heróis judeus, ainda vivem ali, numa tensão constante. Foi um dos lugares mais terríveis que já fui em minha vida, pois os gigantes narrados nas escrituras ainda estão ali. Se percebe o mundo espiritual da Maldade dominando aquela região. 

O ódio com que somos olhados desde as crianças que pedem esmolas, como se fosse uma obrigação e quando lhe damos um pedaço de lanche ou um refrigerante, eles os jogam no chão, como quem diz: "Não queremos a sua compaixão, queremos matar vocês!". 

Hebron e Jerusalém, a Caverna de Macpalah e toda a Terra desde o Líbano até o Sinai, desde o Mar Mediterrâneo até o Rio Eufrates pertencem a Abraão e seus descendentes. Deus deu ao seu povo, Abraão e David compraram as terras, assim como os judeus que desde o final do século XIX, começaram a comprar terras dos Turcos, terras 7 vezes mais caras do que realmente valiam e que era apenas charcos cheios de malária... O povo judeu, os sionistas que morreram, mas, deixaram uma herança a seus filhos, compradas por bom preço, foram como Abraão, visionários do que Deus prometeu e faria para com a Terra de Israel.

Às vezes comprar por preço o que nos é dado de Graça, demonstra que descobrimos ali um tesouro inestimável, que nunca poderíamos  comprar por dinheiro se alguém realmente quisesse estabelecer um preço justo. O que ninguém valoriza segundo a carne e o mundo, é um Tesouro de valor inestimável, que quem descobre vendo tudo o que tem para possuir... Assim é o Reino de Deus que nos foi apresentado.

Aqueles dois lugares pertencem ao Povo Judeu, pois o Pai Abraão e o Rei David, compraram por preço justo, e a Escritura foi lavrada, sendo promulgada em todas as linguas do Mundo e as cópias destas Escrituras estão em cada lugar que já foi visitado pelo homem.

David morreu, e ainda hoje há muitas dúvidas sobre o local de sua sepultura. Era comum na antiguidade, e entre os reis de Judah, que todos fossem sepultados dentro de sua Cidade. A Cidade de David, Yir David, que hoje é o sítio arqueológico mais escavado e estudado do mundo, não revelou ainda o possível lugar do túmulo do Rei David, coisa que causa bastante estranheza.

Há no entanto no Monte Tzion (Sião), um lugar sagrado, visitado por pessoas do mundo todo, onde 24 horas por dia judeus religiosos rezam, pois ali é conhecido como o Túmulo do Rei David. 

Logo acima deste lugar há o Upper Room (O Lugar Alto), O Terraço, onde tradicionalmente foi celebrado O Pêssach de Yeshua com seus discípulos, local também onde cerca de 120 homens e mulheres permaneceram até que na Manhã da Celebração de Shavuot (Pentecostes), O Espírito Santo se derramou sobre todos.

Acredita-se que este lugar era a casa da mãe de João Marcos, local que teria tremido, quando lembrando as Palavras de David, os discípulos de Yeshua, clamaram a Deus, pelas ameaças que estavam sofrendo para que o Evangelho não fosse pregado. Pedro mesmo em seu discurso, quando mais de 3000 homens se convertem e são batizados, lembra que ali, no meio deles... No meio daqueles simples visitantes de Jerusalém, estava O Túmulo do Grande Rei...

David, não se importou em construir um Mausoléu, para sua sepultura, mas, fez tudo o que pôde em sua vida, para que uma Casa fosse edificada ao Deus que não habita em casas feitas por mãos humanas. 

Deus amou tanto a David, a ousadia e o desejo de ter Deus perto de si foi tão grande que no dia da inauguração da Casa, Deus se manifesta e entra na casa para honrar o desejo de seu amado DAVID HAMELECH. Ele, David, fez o que pode, para que O Seu Senhor, O MASHIACH BEN DAVID, pudesse um dia reinar naquele lugar...

Uma dia uma mulher ungiu os pés de Jesus (Yeshua), com um perfume caríssimo e ainda quebrou o frasco, e Judas que era um ladrão e ainda outros de seus discípulos a recriminaram porque diziam que ela estava desperdiçando algo de um valor muito grande. Jesus no entando disse, que ela estava fazendo aquilo, para prepará-lo para a sepultura. Jesus disse que aonde O Evangelho fosse pregado em todo mundo, o que aquela mulher fez seria contado como um Memorial por sua ação para com O Senhor.

Quando as mulheres foram na manhã do domingo até o sepulcro onde estava Jesus, não o acharam, elas iam até aquele lugar para perfumar-lhe o corpo, mas, ele havia ressuscitado!!!! ALELUIA!!!!!!

O que para os discípulos e para Judas era um desperdício era o maior senso de oportunidade e valor que aquela mulher estava dando para O SENHOR. Ela não desperdiçou a CHANCE DE ADORAR O SENHOR, ela investiu tudo o que tinha nisto...

Abraão, David, aquela mulher... Valorizaram a Deus, e fizeram o que puderam para que a vida deles fosse adoração ao que Vive e Reina para sempre...

Quantas oportunidades temos e consideramos desprezível o que é precioso aos olhos de Deus? Não podemos agir como os hititas, como Araúna e tão pouco como Judas e outros discípulos de Jesus. Temos que ser guiados pelo Deus dos espíritos dos Profetas e fazer hoje "o que pudermos", para não dar a Deus algo que não nos custe...


DÊ A ELE A HONRA E GLÓRIA DEVIDAS AO SEU GLORIOSO NOME! AMÉM.



KI MITZION TETZSEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)


Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

VAYERÁ - E APARECEU





VAYERÁ - E APARECEU

Gênesis 18: 1 a 22: 24
II Re. 4: 1 a 26
Marcos 4: 21 a 6:56

"E apareceu O Eterno nos Carvalhais de Mamre" (Gên 18:1a)

Há muitas maneiras de Deus comunicar-se com as pessoas. Cada pessoa que serve a Deus pode contar diversas maneiras distintas de como Deus lhe falou, de que experiências teve com O Senhor, mas, falamos aqui de, Avraham Avinu, (Abraão nosso pai), amigo de Deus, a quem o Criador se faz conhecido, pois, O ETERNO APARECE - VAYERÁ - "E Apareceu".

Deus fala com Abraão para que ele saisse de Ur dos Caldeus, da Casa de seu pai e do meio de sua parentela. 

Deus fala com ele quando Abraão acha que o seu herdeiro será o seu servo, um damasco,  mas, então O Eterno lhe mostra as estrelas dos céus e diz que sua descendência será de tal forma numerosa que ninguém jamais poderia conta-la. 

O Eterno faz uma Aliança com Abraão e se manifesta como um Fogo, uma coluna de fumaça e uma tocha acesa, mas, quando Abraão entra na Terra Prometida, vindo pelo  Norte, VAYERÁ HASHEM AL AVRAM  - "E apareceu O Eterno a Abrão". Esta manifestação é notável! Deus, o Criador do Universo lhe aparece.

Nos parece que este encontro de Deus com Abraão demonstra que O Eterno estava feliz e lhe dava as Boas Vindas, pois depois de ter largado a Terra de seu nascimento para ir até a Terra da Promessa; e também depois de seu pai ter morrido e Abraão ter "meio que a fórceps" saído da casa de seu pai, agora O Patriarca, chega na Terra, embora ainda tivesse consigo a Lot (Ló, seu sobrinho, sua parentela), mas,  o que é uma Parentela para atrapalhar os planos de Deus? 

O Eterno lhe aparece na região que no futuro seria conhecida como Siquém (Shechem), mostrando o cuidado do Eterno com aquele que estava manifestando sua Vontade na Terra.

A Torah cita uma outra situação em que o Eterno "APARECE", a Abraão, e nesta segunda vez, as coisas não estavam tão bem... Na verdade, tanta coisa tinha acontecido... Ló (Lot - Palavra que quer dizer: Cobertura), não via Abraão como um PAI, mas, alguém de quem ele podia ter benefícios se lhe acompanhasse. 

Ló então, confrontado pelo Pai Abraão para que os atritos entre os pastores de um e de outro, não afetasse o relacionamento deles, escolheu  a melhor região da Terra Prometida, que era a Região do que se chama hoje Mar Morto e todo o deserto que lhe cerca, mas, que há 4 mil anos atrás aproximadamente era como o Jardim do Éden.

Esta época parece ter sido um período de muita conturbação para Abraão, que se via envelhecendo sem ter sequer um filho, pela esterilidade de sua esposa. 

Mesmo depois de Deus ter feito uma Aliança com ele de que lhe daria um filho, Abraão tenta ajudar a Deus e faz um filho na escrava, atendendo a uma sugestão de sua mulher. 

Quando Deus, que é O ETERNO, percebe que Abraão em certas situações era tardio em lhe obedecer, como nos casos de seu pai e parentela, e ao mesmo tempo era rápido em fazer o que não devia (gerar um filho na escrava), O ETERNO SE CALA E ESPERA... pois, Ele não tem pressa, ele não está preso no tempo, ele criou a ETERNIDADE...

Na Torah, este período passa de um versículo para o outro... 

Na vida de Abrão passam 13 anos... Num versículo Abrão tinha 86 anos, quando lhe nasce Ismael... No versículo seguinte, Abrão tinha 99 (e conforme diz a Palavra, já tinha seu corpo amortecido - já não podia mais ter relações sexuais, já não tinha mais como atrapalhar a Deus)... Neste momento VAYERÁ - E apareceu O Eterno para Abrão, e lhe muda o nome para AVRAHAM (Pai de povos), e lhe diz: Eu sou o EL SHADAI, anda diante de mim e sê TAMIM (perfeito)! NOACH (Noé andava com o Eterno e era um TAMIM), Abraão se tornaria perfeito andando diante do ETERNO.

Pela terceira vez, então, temos: "VAYERÁ" - E apareceu O Eterno a Abraão, para lhe dizer que chegara a hora da maior de todas as promessas se cumprir: O FILHO DA PROMESSA - ITZCHAK (Isaque - Risada).

A amizade de Deus com Abraão já estava completando BODAS DE PRATA e Deus aparece para Abraão e além de lhe anunciar o Filho que nasceria, ainda compartilha com o amigo que vai destruir Sodoma e Gomorra, e numa das cenas mais lindas de intercessão da Bíblia, enquanto o Patriarca intercede, o Eterno não lhe nega o pedido uma vez sequer. Quando Abraão deixa de pedir para que Deus não destruísse a cidade se houvessem apenas 10 justos naquele lugar. Como nem esse número havia de justos naquele lugar terrível, os anjos enviados por Deus tiram Lot e suas filhas e as cidades e região são devastadas.

A amizade de Deus com Abraão é construída, como falamos na Parashá LECH LECHÁ, é O ETERNO quem toma a iniciativa, é Ele quem garante que fará na vida de Abraão, e o Patriarca, como nós, ainda que fiquem evidenciados muitos erros, deslizes, muitas falhas, ele aprende as lições e conhece a fidelidade do Eterno e vai sendo moldado por ela...

Abraão agora no final desta Parashá tem 135 anos... Ele já caminhava com o Eterno (pelo menos desde que sai de Harã, lugar onde morre seu pai), a 60 anos... Seu filho Isaque já é um homem, e numa noite, O Eterno fala a ele apenas uma vez: Abraão... E IMEDIATAMENTE, o nosso pai responde: Eis-me aqui Senhor!

"Pega teu filho, teu único filho e leva a uma das montanhas da região montanhosa de Moriá e sacrifica ele para mim, faz dele um Holocausto para mim (Oferta inteiramente queimada, como o Sacrifício de Abel)."

"Abraão sai de madrugada" - 60 anos de convivência com Deus. Uma vida andando com O Eterno e conhecendo sua fidelidade, faz de Abraão um homem diligente em Lhe obedecer.

Muita coisa neste caminhar com Deus foi gerado no coração e na vida deste Pai de Nações, e uma delas foi: NUNCA MAIS, VOU REALIZAR COISAS COM AGREGADOS... O QUE DEUS TEM PARA MIM, SÓ OS FILHOS VERÃO E EXPERIMENTARÃO.

Quando Ló deu as costas para Abraão indo para a melhor parte da Terra, Ló que não via Abraão como um pai, mas, apenas como uma COBERTURA, alguém de quem ele podia ter benefícios por andar perto, não obstante parecer ter tido vantagem, este não ouviu o que  Deus falou ao Patriarca: "Olha para o Norte, para o Sul, para o Ocidente e para o Oriente (região para onde Ló tinha acabado de ir), tudo o que vês é TEU!

Até o dia da separação de Ló, o Pai Abraão não tinha visto por completo a Terra da Promessa, pois a visão plena de Deus está condicionada à Obediência à Sua Palavra. (SEM PARENTELA!).

Cônscio desta lição, Abraão que leva consigo servos e animais, seguindo para o Norte para a região Montanhosa de Moriah, onde Deus lhe mostraria em que lugar deveria sacrificar o seu filho, decide num determinado momento do caminho passar um risco e dizer para todos os servos que lhe acompanhavam: - "Daqui para frente só seguiremos eu e meu filho".

Há uma dimensão da revelação de Deus que não vai ser dividida com servos. Só os filhos poderão ir além, pois, só os filhos estarão comprometidos, empenhando suas próprias vidas com as promessas que Deus fez aos seus pais, já que Deus é um Deus de gerações e por isso, a estes se mostrarão O PROPÓSITO DO ETERNO...

"Pai aqui está o fogo, a lenha para o altar, mas, onde está o Cordeiro para o Holocausto?" - VAIOMER AVRAHAM ELOHIM YREEH - "E falou Abraão: Deus proverá!" 

Se há uma verdade que cabe aos pais dizerem aos filhos, esta é a Verdade: "Filho, Deus proverá O Sacrifício", e depois de algum tempo: "Filho você é o Sacrifício".

No momento em que a SHECHINAH brilhou sobre um dos montes da Cordilheira de Moriah, Abraão foi até lá com seu filho, com O Filho da Promessa, e naquele lugar disse: Filho, você é O Sacrifício... O Compromisso de Abraão e de Isaque eram tão grandes com Deus, A Promessa de Deus a Abraão era algo tão real e tão real na vida de Isaque, que O pai não retardou em obedecer a Deus e nem o filho em confiar nos desígnios d´Aquele que chamou seu pai da Terra de seus antepassados.

É por isso que O Lugar da Aliança, da Manifestação de DEUS, O Lugar da Provisão não é lugar de servos, de congregados, de achegados... É LUGAR DE FILHOS! Os filhos estarão totalmente comprometidos com o que Deus falou a seus pais e darão a própria vida para que isso se cumpra.

Pois imaginem um homem de 35 anos de idade, no auge da força, ser amarrado, pelas mãos e pés e ser colocado sobre aquele altar sem abrir a boca, sem dizer: Você está louco meu pai! Isaque, como uma ovelha muda diante de seus tosquiadores se deixou sacrificar...

Quando O Pai Abraão levantou o cutelo para partir ao meio seu filho, DOS CÉUS, bradou O Eterno... "Vi que verdadeiramente temes a Deus, porque não negaste teu filho, teu Único filho"...

Como não lembrar da Mulher sunamita que estéril fica brava com o profeta, quando lhe fala de uma esperança que já havia matado dentro de si, e como ela se abraça àquela promessa, quando seu filho morre... Ela o põe na cama do quarto que fizera ao profeta e vai até ele... O que Deus nos deu foi com um propósito que Ele o fez... Confiarei, pois ainda que pareça perecer, eu ainda o verei cumprido!

Jairo, se prostra diante de Jesus, não se importando com o que os outros vão dizer ou falar, pois sabia que quem podia curar ou ainda ressuscitar sua filha era Deus. Abraçar-se à promessa de Deus, confiar n´Aquele que nos chamou, n´Aquele que prometeu, agir por fé, crendo que O Deus que nos abençoou com filhos, com promessas é poderoso para cuidar deles, para mantê-los firmes no propósito eterno ainda que aos olhos de todos pareçam mortos.

Jesus diz a seus discípulos: Vão para Betsaida, e Ele mesmo sobe a um alto monte para orar, e vendo-os já no final da noite, depois de remarem a noite toda, já tendo perdido as forças e já perecendo... YESHUA VAYERÁ  "e apareceu" a eles andando por sobre as águas, e se apresentando entra no barco e então a tempestade cessa.

Há uma Palavra de Deus a nosso respeito, há um chamado, há uma Aliança feita com O Criador dos Céus e da Terra, selada com o Sangue do seu filho Jesus...

Abraão, não mate o teu filho, deixa que EU MATO O MEU! Deus não permitiu que Abraão matasse a Isaque, mas, tem prazer em MOER O SEU FILHO NAQUELA CRUZ, para que Abraão, Isaque e todos os que vieram a esperar pelo Messias, ou crer que Jesus era A Esperança de Israel, ou que Ele era O Desejado das Nações... Deus e Jesus sofreram o que Abraão e Isaque pela obediência, não precisaram sofrer.

É no Monte da Aliança, é no Monte do Calvário, é no Monte da Cruz que Deus PROVERÁ! Há um entendimento diferente do que os judeus e mulçumanos que disputam ter sido a Eira de Araúna, o Topo do Monte Moriá, o lugar do Sacrifício de Isaque, que os mulçumanos insistem ter sido o lugar do sacrifício de Ismael...rssss

Para mim, como diz a Torah, o lugar do Sacrifício não foi NO MONTE MORIÁ, mas, num dos montes da Cordilheira de Moriá, para mim, o Monte do Sacrifício de Isaque, onde Abraão selou sua Aliança com Deus, foi o lugar escolhido para que também no futuro, Deus selasse Sua Aliança com os homens, entregando Yeshua, como O Cordeiro para O Holocausto, para que todo aquele que nele crer, não pereça, mas, tenha a Vida Eterna!

O ETERNO e YESHUA, padeceram todo o sofrimento causado pelo pecado dos homens, para que novamente os homens pudessem ter acesso ao coração de Deus. Que amor é esse? O Plano da Redenção não está ligado às atitudes dos homens, porque somos falhos... Deus mesmo no decorrer dos anos de nossas vidas, vai nos ensinando, moldando, para que possamos simplesmente obedecer, já que Ele é quem faz, Ele nos abençoa, Ele nos conduz, Ele se entregou por nós...

Se está com vontade de cantar, CANTE... ADORE, GRITE, LOUVE AO SENHOR, POIS O SEU AMOR DURA PARA SEMPRE...

A Parashá VAYERÁ, termina, contando a história da família de Naor, de onde surge a jovem Rebeca... Enquanto O Plano de Deus vai se cumprindo na vida de Abraão e Isaque, Deus, lá longe está preparando todo o mais que é necessário para que este plano continue por muitas gerações... Porque enfim, neste monte ELOHIM IREEH (Deus proverá!).

Nós nem imaginamos o que Deus agora está realizando para que daqui há muitos anos possamos viver de suas promessas, mas, Ele está provendo...

O que nos cabe é obedecer....



DELE POR ELE E PARA ELE SÃO TODAS AS COISAS... A Ele, pois, A Glória Eternamente! Amém.



KI MITZION TETZSEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)


Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

terça-feira, 31 de outubro de 2017

REFORMA E RESTAURAÇÃO




Mc. 2: 21 - "Ninguém costura remendo de pano novo em veste velha; porque o remendo novo tira parte da veste velha e fica maior a rotura."

31 de Outubro de 2017, 500 anos da Reforma Protestante. Décimo Jubileu em que Martinho Lutero pregou as 95 teses em que questionava a Igreja, quanto a sua conduta, com a Luz que recebera de Deus acerca da Vida pela Fé.

Em ocasiões especiais como estas os judeus declaram: 

"BARUCH ATÁ ADONAI, ELOHEINU MÉLECH HAOLAM, SHEHECHEYANU VEKIEMÁNU VEHIGUYÁNU LIZMAN HAZÊ" - (Bendito és Tu Eterno, Nosso Deus, Rei do Universo, que nos deu Vida, nos manteve e nos fez chegar até a presente época).

Alguém há que torça o nariz ao ler frases em hebraico, numa comemoração protestante, mantendo assim o hábito humano de separar as pessoas em religiões, coisa proveniente do mesmo hábito humano de dizer que: "religião não se discute!", "temos de respeitar a religião dos outros", etc, etc, etc,... coisas assim bem humanistas e das quais não gastaria o meu tempo em tratar.

Separados, segregados, confortavelmente colocados cada um em seu quadrado, seguem assim os católicos, os protestantes e os judeus. 

Vamos ampliar um pouco mais isso: 

Os católicos apostólicos romanos, os católicos carismáticos, os católicos ortodoxos, os católicos não praticantes... os Luteranos...

Os Presbiterianos, os Anglicanos, os Batistas  os Congregacionais,  e mais recentemente: os Pentecostais da Igreja de Deus, das Assembléias de Deus e se já não fosse o bastante nas últimas décadas os Neopentecostais e inumeráveis denominações que foram se quebrando umas das outras até ser impossível tecer um quadro se não ajuntando em grandes grupos como os católicos, ortodoxos, protestantes tradicionais, pentecostais, neopentecostais, e outras denominações... 

Ia esquecendo de falar dos Judeus. Judeus Ultraortodoxos,  Judeus ortodoxos, os tradicionais, os reformistas e os messiânicos (que para muitos não são considerados judeus)... Quem for até o Kotel, no recebimento de um Shabat, verá a incrível multidão de pequenos grupos, como pequenas denominações, que se vestem de maneiras diferentes, com tipos distintos de chapéus, barbas, roupas, mas, que estão todos lá reunidos num mesmo lugar: Todos estão lá para celebrar O ÚNICO DEUS!

Sim, parece que voltamos à Torre de Babel, onde Deus confundiu as línguas dos povos para que eles não construíssem algo abominável, inspirados pelo Mal. 

A questão hoje é que todos os que se dizem cristãos ou judeus, buscam agradar (cada um de um jeito), o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. Mas, cada grupo diz que o outro está fazendo errado.

Cada um tomando as Escrituras e baseadas Nela, defendem seus pontos de vista e criticam os outros por não zelarem por isso ou aquilo. Os judeus sequer consideram Escrituras os textos que falam sobre Jesus. Muitos cristãos rasgam a Bíblia usando só o Novo Testamento, como se Deus tivesse mudado, ou como se fosse um "Outro Deus".

A Igreja de Cristo, porém não está dividida!

Sl. 34: 20 - "Preserva-lhe todos os ossos, nem um deles sequer será quebrado." e ainda:
Jo. 19:36 - "E isso aconteceu para se cumprir a Escritura: Nenhum dos seus ossos será quebrado."

Disso fala Paulo aos Efésios: 4: 1 a 6 - "Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no SENHOR, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz; há somente um Corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só Esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só Fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos."

E ainda mais, quer gostem ou deixem de gostar, dos dois povos: Judeus e não Judeus, Deus fez um só povo! 

Ef. 2: 11 a 18 - "Portanto, lembrai-vos de que, outrora, vós, gentios (não judeus) na carne, chamados incircuncisão por aqueles que se intitulam circuncisos, na carne, por mãos humanas, naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo. Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo.  Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derrubado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliasse ambos em um só Corpo com Deus, por intermédio da Cruz, destruindo por ela a inimizade. E, vindo, evangelizou paz a vós outros que estáveis longe e paz também aos que estavam perto; porque, por Ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito."

A Reforma Protestante então foi uma ruptura dos que estavam certos, daqueles que estavam errados? Devemos esquecer as diferenças e nos abraçar como irmãos amados, considerando apenas o que nos une? (HÁ MUITOS MOVIMENTOS QUE DEFENDEM ISSO!).

Há tantas perguntas e talvez tantas respostas distintas que ficaríamos o resto de nossas vidas, discutindo, discutindo, tentando convencer uns aos outros de nossos pontos de vista, ou pela fraqueza de nossos argumentos, sendo convencidos pelos outros de tais e tais valores... Tudo humano, tudo centrado no que achamos, no que defendemos, no que consideramos o melhor, tudo centrado em nós mesmos!

Israel passou por alguns grandes Avivamentos, em que a nação voltou para a Torah e para a Adoração estabelecida por David, coisas assim que ocorreram nos dias de Asa, Ezequias, Josias, Esdras e Neemias, mas, conforme todas as profecias, os judeus foram espalhados por todas as nações da Terra, porque deram as costas a Deus indo servir falsos deuses, contaminando-se com a iniquidade das nações. Pior que isso! Foi entre as nações fazer o Nome do Nosso Deus ser blasfemado, quando se dizia: "Não é este o povo do Eterno?"

Pois, um não judeu, falar isso, deve provocar muita fúria entre os Eleitos de Deus, mas, estas Palavras são dos Profetas e não minhas, e a história as confirmou.

Da mesma maneira tão sórdida, a Igreja de Cristo, se prostituiu com tantos amantes, desviando-se de Deus, como fizera Jeroboão na antiguidade com as Dez Tribos de Israel. Estamos assim, perdidos em nossos pecados, confundidos por nosso humanismo, mas, Deus...

O ETERNO, BENDITO E GLORIFICADO SEJA O SEU NOME PARA SEMPRE!

O ETERNO, PERMANECE PARA SEMPRE! E A SUA FIDELIDADE VAI DE GERAÇÃO EM GERAÇÃO!

Deus nunca deixou de ter os seus, Ele, em todas as gerações, (conforme disse a Elias), sempre teve os seus que não dobraram os seus joelhos diante dos falsos deuses, e escondidos mesmo, mantiveram acesa a chama, de geração em geração.

Cada vez que buscaram a Deus com o desejo sincero de acha-lo, O encontraram. 

Um dia Martinho Lutero, viu que "O Justo da sua Fé viverá", e isso lhe mudou a vida! O DESEJO DE LUTERO, foi que como ele, todos tivessem acesso a Deus! À Palavra! Sua maior obra não foi sua coragem, indubitavelmente vinda do Espírito, de chamar a sua geração, a Igreja tão maculada de mentiras e enganos, para voltar-se para Cristo. Mas, foi trabalhar para que a Bíblia fosse traduzida para o Alemão. 

Lutero, foi além de criticar, ele fez algo para que as pessoas pudessem ser livres, mais do que dizer que todos estavam errados. Ele empenhou sua vida, para traduzir a Bíblia, para que as pessoas cada uma por si mesma, pudessem ler a Bíblia, conhecer a Deus, saber o que Ele pensa, do que gosta, do que não gosta, mas, principalmente o QUANTO ELE NOS AMA!!!!!!!!!!!

Sim foi uma reforma! Era necessário. Outras Reformas tem se operado na Igreja e posso dizer também entre os judeus. 

Sempre nos dois povos há os que defendem as Tradições. Nossas tradições cristãs são bem mais recentes do que as Tradições dos Judeus, mas, com unhas e dentes as defendemos como eles as suas, mas, a pergunta que não quer calar, para todos é: "O que é mais importante, Tradição ou Torah? Tradição ou a Bíblia Sagrada?"

Pierre de Vaux, John Wycliff, Ian Huss, Savanarola, Martim Luther, Jean Calvin, John Knox, entre tantos outros, foram e são heróis, que deram as suas vidas, coisa que hoje celebramos e a Deus damos Glória, pois não há dentre eles, nos seus tremendos acertos e nos seus terríveis erros, quem não desejasse acertar, quem não amasse Deus e a Sua Palavra mais do que suas próprias vidas, e esse foi o explosivo que comemoramos hoje.

Mas, em honra e benção das memórias destes justos, precisamos meditar sobre as diferenças entre Reformas e a Restauração que nos foi proposta por Deus, em Sua Palavra. 

As reformas descascam as paredes de antigas reformas, para lhes aplicar novas camadas de tinta. É comum se achar ainda hoje em prédios muito antigos, afrescos, estruturas arquitetônicas, que aparentemente tornaram-se obsoletas em determinada época e foram escondidas com reboco, massa e tinta. 

Nas reformas, não se costuma pensar muito no projeto inicial de uma edificação, mas, no conforto e bem estar dos atuais moradores de uma casa. Os olhos para si mesmos e para o conforto e para o que está "na moda", em certas épocas, têm gerado muitas reformas, mas, uma Restauração fala do Projeto Inicial.

O que sonhou o Arquiteto, para que projetou tais estruturas?

Quando lemos a Bíblia, ou buscamos pregações para sustentar nossos pontos de vista, vamos achar sempre argumentos para tais fins. Quando no entanto lemos a Bíblia, com fome por Deus, que é Eterno e Infinito, nos surpreendemos a cada dia pela Palavra que é Viva, na Verdade, uma Pessoa, O MASHIACH (O Cristo), e então, pelo Espírito que inspirou os Santos Profetas e Apóstolos que em suas gerações, nos legaram a Palavra de Deus, somos iluminados.

Iluminados não para voltar atrás, para os pensamentos dos Reformadores e tão pouco para frente como se fossemos empreender uma nova reforma. (Há quem já use tal expressão, e se intitule: Patriarca da Nova Reforma Apostólica)...rsssss

Os Reformadores, só deram suas vidas, assim como os Apóstolos do Cordeiro e como os Heróis da Fé, que viveram antes mesmo do Cristo, o Autor e Consumador da Nossa Fé, porque todos viveram por lampejos da ETERNIDADE!

O que Deus tem para nós, não está há 500 anos atrás, embora hoje celebremos esta data tão especial! Não está tão pouco num futuro incerto, do qual não sabemos se participaremos ou não ativamente do que ocorrerá... O que temos guardado em Cristo é O ETERNO!

A RESTAURAÇÃO DE TODAS AS COISAS, está na ETERNIDADE, não foi tocada, por mais divisões e contendas que hajam ainda hoje entre nós, cobertas muitas vezes por reboco e tinta, há uma Noiva que tem sido adornada por Ele, O Noivo. 

Há uma Redenção que foi consumada na Cruz do Calvário, que pareceu a ruína, mas, era o golpe mortal contra o Pecado. 

Assim como o Mundo jaz no Maligno e parece que estamos perdendo, mas, como orou Eliseu e Paulo, oremos hoje, para que Deus abra os olhos de nossos moços, para que vejamos que não estamos cercados, estamos cercando! 

De que há mais entre os que estão conosco, do que entre os que estão com os nossos adversários. Oremos para que se abram os olhos do nosso entendimento, para que conheçamos qual seja a Esperança da Nossa Vocação em Cristo Jesus em viver nestes dias.

Mais do que tudo, que possamos achar Nele, em Sua Palavra: O Caminho. Caminho pelo qual precisamos nos arrepender e para onde precisamos converter nossa vida.

Atos 3: 19 a 21 - "Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, a fim de que, da presença do Senhor, venham tempos de refrigério, e que envie Ele O Cristo, que já vos foi designado, Jesus, ao qual é necessário que O Céu receba até os TEMPOS DA RESTAURAÇÃO DE TODAS AS COISAS, de que Deus falou por boca dos seus santos profetas desde a antiguidade."

Na Biblia e não em nossos argumentos estão os fragmentos da Eternidade da qual falou o Apóstolo Pedro e santos profetas como Joel e Habacuque, que chamaram e anunciaram que os sacerdotes, homens, mulheres, crianças, até os noivos e as noivas, deveriam buscar O Nosso Deus, e isso rasgando os corações diante Dele, porque os montes ainda trasbordarão de trigo, de vinho novo e azeite e o Conhecimento da Glória de Deus encherá esta Terra, como as águas cobrem o mar.

Não olhemos para 500 anos atrás, olhemos para a ETERNIDADE, para onde também olharam os Reformadores, e a Palavra que se fez carne e habitou entre nós, novamente se manifestará, a saber: 

O RESTAURADOR, YESHUA (JESUS)



Paulo de Tarso, Apóstolo
Conselho Apostólico Brasileiro

31 de Outubro de 2017 - Décimo Jubileu da Reforma Protestante.