sábado, 20 de agosto de 2016

VAETCHANAN - IMPLOREI GRAÇA




VAETCHANAN - IMPLOREI GRAÇA
Deuteronômio: 3: 23 a 7: 11 
Isaías 40: 1 a 26
Marcos 12: 28 a 34

Deuteronômio 3: 23 - "E implorei graça ao Eterno, neste tempo, dizendo:..." 

Moisés sabendo que não passaria o Jordão para ver Israel possuir a Terra Prometida, depois de adorar a Deus e reconhecer que não há ninguém semelhante ao Eterno, IMPLORA A GRAÇA de Deus, para que pudesse passar para a "Boa Terra" que estava ao Ocidente do Jordão.

Deus lhe respondeu: BASTA!

Lembro-me de Nicodemus, questionando Jesus sobre como ser possível um homem já sendo velho, nascer de novo, pois enquanto Deus fala a Moisés de coisas espirituais, como Jesus a Nicodemus, Moshe Rabeinu, queria ver e entrar na "Boa Terra".

Deus fala pra ele subir ao Cume ao "ROSH PISGAT" à cabeça, ao topo, ao lugar mais alto, do Cume. O topo do topo. Sabemos que este lugar é a Cordilheira de Avarim (palavra para passados ou lembranças), e no Lugar mais elevado, conhecido como Nebo, palavra oriunda de Navi (profeta, visão), Deus quer mostrar para Moisés algo que humanamente ele não consegue perceber. 

Deus manda Moshe olhar para o Norte, Ocidente e Sul, mas, porque para o Oriente? O Oriente do Jordão era aonde ele estava, ele certamente ainda teve de dar as costas para tudo o que estava a Ocidente do Jordão, lugar em que ele tanto desejou entrar, para olhar também para O Oriente.

Deus sempre vai fazer mais do que podemos pedir ou pensar... O Que Deus tinha pra Moshe e para Israel, não estava no futuro daquela nação que atravessaria para tomar posse da Terra, mas, que um dia cairia novamente pelos pecados e seria levada cativa e mesmo depois de voltar para a Terra, mais uma vez seria expulsa e espalhada por todo o Mundo retornando quase dois mil anos.
O que Deus tinha para o seu povo não estava em algum fato do passado, talvez alguma lembrança do deserto que agora ficava para trás, mas, o que DEUS tinha para Moisés e para o seu povo Israel está na Eternidade é O PRÓPRIO DEUS ETERNO!

Em toda a Biblia as Palavras de Moisés para a nação ditas e escritas neste trecho da TORAH, são sem dúvida alguma  uma das principais porções.

Moisés passa a advertí-los a guardar e cumprir toda a Lei que O Eterno lhes deu, coisa que seria o diferencial entre o povo de Israel e os demais povos. Todos veriam na Justiça, e na Santidade expressas na Lei, a diferença entre Israel e qualquer outra nação, observando que Deus é O Único entre todos. O Zelo na obediência é enfático quanto ao povo de Israel jamais tomar qualquer outro deus, não se permitir enganar com qualquer tipo de imagem, ou adoração à qualquer tipo de coisa criada pelo próprio Deus para todos os homens, em suma não cair na idolatria, trocando O Criador dos Céus e da Terra, por qualquer de suas criações, coisa que além de ser uma Abominação diante do Eterno, seria a causa da destruição do povo que foi tirado do Egito para ser seu povo de propriedade particular. 

Fica bastante claro ali, naquele lugar onde Deus chama Moisés não para observar apenas o que o povo entraria para possuir, mas, para ver A ETERNIDADE, O ETERNO, que as aflições que passaram, situações como a prostituição de Bete-Peor, e outras que no futuro viriam, levando o povo ao cativeiro e ao exílio, onde acabariam servindo "o pau e a pedra" por terem dado as costas ao Deus Vivo e Verdadeiro, de quem podemos dizer: Quem é como O Nosso Deus, entre os deuses?

A cada dia percebemos que as heresias todas que existem em nossos dias, tantos ensinos de demônios, tanta idolatria e culto a homens, líderes carismáticos, visões, estruturas, denominações, etc. Que a profunda decadência da Igreja, da Kehilat Mashiach, bem como de Congregação de Israel com o seu misticismo, com o desconhecimento da Tanach e  o envolvimento com o espiritismo e a reencarnação, e outras tantas práticas abomináveis, não são ou podem apenas ser reduzidas para o fato dos judeus não reconhecerem Yeshua como Mashiach, nem tão pouco ser um Álibe para não judeus idólatras que dizem crer em Jesus, mas, é a EXPRESSÃO da Rebeldia do homem para com Deus, e o fato de mesmo sendo amados e alcançados pela Misericórdia do Pai da Eternidade, buscando para si os seus próprios interesses, desviaram-se de Deus e muitíssimos tornaram-se cegos, surdos e insensíveis, com aparência de que vivem, mas, estão mortos.... POR ISSO:

SHEMÁ ISRAEL!!!!

Muitos anos atrás, saindo do meu escritório me deparei com  um judeu religioso que saía de uma Casa de artigos de Umbanda, com velas pretas e vermelhas nas mãos. Eu me senti tão indignado com aquilo, que gritei da janela de um carro onde estava: SHEMÁ ISRAEL!!!!

Alguém me disse um dia que aquela prática era comum para alguns, pois aquele seria um judeu cabalista e que precisava daquilo para isso ou aquilo outro... E este tipo de explicação me enoja, e me dá vontade de ser mau educado e gritar de novo: SHEMÁ ISRAEL!!!

A quer Vontade gritar alguma coisa, para toda a corrupção que se vê no meio dos cristãos, que foram alcançados entre as nações com O Evangelho. Muitíssimos talvez como os judeus, nunca tiveram uma experiência com Deus, mesmo os que se nomeiam cristão e que são frequentadores de igrejas nos seus trabalhos e agendas. Porque nascer judeu, ir nas sinagogas nas Festas e praticar alguns atos religiosos que tornaram-se hábitos não faz de alguém um servo de Deus, assim como ir no culto de domingo, entregar dízimos e cantar algumas músicas, tão pouco o pode fazer...

Não existe mais de um Deus. SÓ EXISTE UM!

O Shemá Israel não é apenas para os filhos de Abraão gerados através de Isaque, mas, para os filhos de Abraão gerados através de Ismael e para os filhos de Abraão gerados através de YESHUA.

Não é o meu campo de atuação falar sobre os árabes e sobre o muçulmanos, mas, a Fonte na qual Agar deixou o seu filho no deserto, de onde Deus ouviu O CHORO DO MENINO, esta mesma Fonte que os árabes levam para todas as casas, e cidades e praças do mundo onde vão morar, estas fontes, lembram que A Fonte onde Ismael foi achado é uma pessoa: YESHUA, A FONTE DE ÁGUA DA VIDA.

Toda a tradição muçulmana de Mohamed, desviou e tem desviado milhões e milhões de pessoas da VERDADE que DEUS É UM. Levando tal multidão à perdição de seguir um Falso Profeta que chama de Deus Único, quem não é Deus. Eles que dizem respeitar a Torah e os profetas do "povo do livro", deturparam, misturaram e mudaram A Verdade de Deus, e se esqueceram do Conselho de Moshe Rabeinu de que ninguém acrescentasse nada ou retirasse qualquer coisa da Torah. Este conselho tem sido esquecido, e portanto não nos assusta ver tamanha rejeição a Yeshua, ou tão profundo desvio da obra que Ele realizou com sua Vida, consumando-a na Cruz, toda a rejeição a YESHUA é na verdade a maior expressão da Rejeição ao ETERNO.

 שׁמע ישׂראל יהוה אלהינו יהוה אחד׃
ואהבת את יהוה אלהיך בכל־לבבך ובכל־נפשׁך ובכל־מאדך׃

SHEMA ISRAEL ADONAI ELOHEINU ADONAI ECHAD.
VEACHAVTÁ ET ADONAI ELOCHECHÁ, VECOL LEVAVECHÁ, UVECOL NAFSHECHÁ UVECOL MEODECHÁ

OUVE ISRAEL O ETERNO NOSSO DEUS O ETERNO É UM.
E AMARÁS O ETERNO TEU DEUS DE TODO O TEU CORAÇÃO, E DE TODA A TUA ALMA E DE TODA A TUA FORÇA.

Como é pobre qualquer comentário que eu possa escrever sobre A VERDADE DA PALAVRA DE DEUS. Muito mais importante que ler meus comentários, é ler A TORAH, é permitir que O Espírito Santo revele, traga à existência dentro de nós, a materialização desta Palavra que é uma pessoa: YESHUA.

Me lembro que a primeira vez que fui convidado a pregar, estava numa busca intensa sobre o que deveria falar, e me chamou muito a atenção, quando o meu pastor numa reunião de oração, leu o trecho que fala do momento em que Yeshua depois de 40 dias e 40 noites jejuando foi tentando por Satanás e então por três vezes disse: ESTÁ ESCRITO!

Naquele momento me questionei: Onde estão escritas estas três frases: "Nem só de pão viverá o homem, mas, de toda a  Palavra que procede da Boca de Deus", "Não tentarás O Senhor teu Deus" e ainda: "Só Ao Eterno teu Deus Adorarás e só a Ele prestarás culto (ou servirás)". Bem fui pesquisar e a minha primeira pregação, sem ter idéia do que SHEMÁ ISRAEL queria dizer, foi sobre esta PARASHÁ (esta porção), em que depois de lembrar das 10 Palavras que O Eterno deu a Moshe e a todos nós no Monte Horebe, ele nos incita a falar desta Palavra ao acordar e ao levantar, andando pelo caminho, que deveríamos amarrar entre os nossos olhos e em nosso braço e que deveríamos colocar nos batentes de nossas portas... Para lembrar o que? QUE DEVEMOS AMAR O NOSSO DEUS, DE TODO O NOSSO CORAÇÃO, DE TODA A NOSSA ALMA E COM TODA A NOSSA FORÇA.

Jesus questionado algumas vezes sobre qual de todos os mandamentos seria o mais importante, respondeu: "Amar ao Eterno teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com toda a tua força" e "amar o teu próximo como a ti mesmo", destes dois mandamentos provém toda A Lei. 

Qual é O Nosso problema então? Parece tão simples. Resumido assim parece tão fácil de entender e tão mais fácil de cumprir... É só amar a Deus e amar as pessoas... MAS, O DIFÍCIL É FAZER ISSO!

Não está em nós a capacidade, a força, a disposição para fazê-lo. É por isso que há tanta prisão nas Religiões, porque o ser humano acha que é fácil fazer isso, acha que está no alcance de suas mãos... Nossa tendência egoísta, a facilidade com a qual dizemos que pecamos por isso, por aquilo, por causa desta ou daquela pessoa ou situação... A facilidade com que nos escondemos de Deus depois de termos cedido à tentação do pecado; a dificuldade de irmos até Ele, até que Ele nos pergunte: Aonde está você?

O Amor aos nossos próprios interesses, ao que nos é particular, que nos trás benefícios. Frases comuns como: "se você não cuidar do que é seu ninguém vai fazê-lo", ou ainda "você precisa de um pouco mais de amor próprio", "você precisa se amar primeiro, porque se não ninguém vai gostar de você" e também "você precisa se valorizar mais", todas elas de procedência diabólica, enfatizam a tendência do homem de dar as costas para Deus, porque o homem, em sua natureza corrompida pelo pecado, não precisa que ninguém diga a ele para fazer tais coisas, porque o homem, querendo ser igual a Deus, querendo conhecer "o bem e o mal", deu as costas para O Eterno e está absolutamente imerso neste oceano de iniquidade e do amor ao seu ego, deixando O Único Deus, fora de seu coração.

Moshe implorou a Graça de Deus para que pudesse passar para  possuir a Terra Prometida, mas, quando Deus lhe responde: BASTA! Moshe se resigna à viver a Vontade de Deus, e a dar a Israel o que de mais precioso ele pudera ver e conhecer de Deus. Seu grito: SHEMA ISRAEL! É o grito de Amor ao Povo, o seu povo, eles eram os próximos de Moisés, a quem ele amou tanto, não guardando nada de tudo o que Deus lhe mostrara e lhe dissera. 
Moisés mostra o seu Amor por Deus, se calando e indo fazer o que lhe fora ordenado, MOSHE RABEINU, não apenas escreve a ordem de AMAR O ETERNO DE TODO O CORAÇÃO, ALMA E CORPO, como uma ordem ou um sentimento intangível, mas, ele demonstra Amar a Deus desta maneira, revelando ao povo que não há outro como O Nosso Deus e ainda, que a Vontade Dele prevaleça e que a nossa se submeta à Dele.

Para amar a Deus, nós precisamos de Yeshua. Para amar a Deus, nós precisamos que algo sobrenatural se manifeste em nós. Para amarmos a Deus, precisamos que O Espírito que gerou Yeshua no ventre de Miriam, venha sobre nós, e gere O MASHIACH dentro de nós. 

Precisamos para amar o nosso próximo, A Presença de Deus em nossa vida. Moisés queria apenas entrar naquela BOA TERRA. É assim que nos achegamos a Deus, para pedir as coisas mesquinhas da nossa compreensão, como dinheiro, bens, saúde, relacionamentos, poder, etc...

O Basta de Deus para Moisés, é o BASTA de Deus para nós.  Deus quer que vejamos o que Ele reservou para nós. Deus quer que possamos contemplar algo acima das lembranças de nosso passado, além os fatos que poderemos observar em nosso futuro... Deus quer revelar-se a nós. Ele quer que vejamos O ETERNO, que nossa perspectiva esteja muito acima do que nós consideramos bom, e nisso experimentar Ele, O QUE VERDADEIRAMENTE É AMAR. 

Deus nos dá O MASHIACH dentro dos nossos corações, para que tenhamos dimensão do que É O TEU AMOR. Deus falamos de amor para nossas esposas, filhos, para amigos, para irmãos, mas, não sabemos amar! Dizemos que amamos com nossas limitações, com nosso egoísmo, orgulho, vaidade, pecados, interesses... Deus eu quero amar minha esposa, quero amar meus filhos, quero amar os irmãos, quero amar, mas, eu não sei Amar! 

Deus, a religião nos deu frases bonitas que de tão repetidas parecem verdade, pois a sabemos "de cor". Pai, nós queremos DE CORAÇÃO, te receber dentro de nós. Queremos através do Teu Espirito Santo, experimentar a transformação do MASHIACH do Deus Vivo no nosso ser dentro do Nosso Coração.

Pai, nós trocamos a "boa terra", pela chance de ver o que O Senhor quer nos mostrar. Nós queremos ver não apenas o que nos interessa, mas, o que O Senhor sonhou para nós. Deus nos dá YESHUA! 

Nos dá A Tua Eternidade dentro de nós. Nos dá a tua vida. Eu quero te amar com O Teu Amor. Eu quero amar minha esposa com O Teu Amor; eu quero amar os meus filhos com O Teu Amor... Eu quero amar e O Amor é uma pessoa!!!! YESHUA.

Quando MOSHE RABEINU encontrou-se com O MASHIACH e com ELIAHU HANAVI, em Eretz Israel, no local da transfiguração de Yeshua, ele deve ter pensado: "Meu Deus é MUITO MAIS DO QUE EU PODIA PEDIR OU PENSAR!!!"

Que cada um de nós possa ouvir o "BASTA" de Deus, em tudo o que temos feito na nossa religião, achando pelo nosso ponto de vista que seria aquilo o melhor para nós, para que possamos viver A ETERNIDADE que Deus tem para cada um de nós...


KI MITZION TETZEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)



Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

DEVARIM - PALAVRAS



DEVARIM - PALAVRAS
Deuteronômio: 1: 1 a 3: 22 
Isaías 1: 1 a 27
I Timóteo 3: 17

Núm. 33: 1 - "São estas as palavras que Moisés falou a todo Israel, dalém do Jordão, no deserto de Arabá, defronte do Mar Vermelho, entre Parã, Tonel, Laban, Hazerote e Di-Zaabe

Quem é O AM ISRAEL (O Povo de Israel)?

De Abraão, O Eterno fez um povo, como as estrelas dos céus, assim seriam os filhos de AVRAHAM AVINU. Uma família com 70 pessoas foi para o Egito com YAKOV, mas, depois de alguns séculos O Eterno sacou do Egito uma nação. Aos pés do Monte Sinai o censo que Deus ordena que seja feito conta entre os homens 603.550. Creio não ser nenhum crime arredondarmos os números chegando a 600 mil homens, e talvez somando mulheres e crianças cheguemos a uns dois milhões de pessoas.
Pois este povo Deus tirou do Egito e os conduziu para que possuíssem a Terra que sob juramento O Eterno prometeu a Abraão e a seus descendentes. 

40 anos depois dos poderosos feitos do Nosso Deus para tirar o seu povo da escravidão, aqueles homens todos, pior que isso aquela geração toda havia morrido naquele deserto. De várias formas morreram. Por pragas, em guerras, condenados à morte por seus pecados, pelas mãos de seus próprios irmãos, de maneiras inusitadas tendo a Terra aberto e os engolido vivos; com fogo que saiu da Presença de Deus e os consumiu... morreram! Todos morreram...

Mas, não Israel. Não a promessa! 

Às margens do Jordão agora, na parte da Terra Prometida, à Oriente do Jordão, terras que já estavam conquistadas, terras tomadas dos amorreus, de Seom e Ogue, reis que contenderam contra Israel e que caíram com todas as suas cidades e terras diante dos filhos de Israel.  

Moisés, já sabendo que não entraria para tomar posse e conquistar a Terra a Ocidente do Jordão, já avançado em dias, beirando os 120 anos, reune os filhos de Israel e passa a lhes contar tudo o que ocorrera, tudo o que Deus havia dito a Israel nestes 40 anos. 

Nas palavras de Moisés registradas na Torah, neste discurso ele sempre fala em segunda pessoa (não foram eles, e sim vocês que pecaram), Moisés conta o que aquelas pessoas, aquele povo tinha dito, e as coisas que eles tinham feito, por exemplo:

"porém, vós não quisestes subir", 
"murmurastes nas vossas tendas e dissestes", 
"mas, nem por isso crestes no Eterno, vosso Deus". 

Moisés trata com aquele povo como se eles pessoalmente tivessem sido os protagonistas de toda aquela história, mas, na verdade quem viveu tudo aquilo foram os seus pais. Eles era as crianças, de quem os pais disseram, (duvidando que Deus os poderia fazer entrar e possuir a Terra Prometida): "nossos filhos acabarão por presa dos povos da Terra". Pois a estas crianças Deus estava entregando a TERRA PROMETIDA.

601.730 homens foram contados depois da praga por conta do pecado com o envolvimento com a mulheres moabitas. Com certeza podemos arredondar o número deste segundo censo, novamente para 600 mil homens, e também numa estatística semelhante chegaríamos a uns 2 milhões de pessoas, se contássemos as mulheres e crianças... O que isso tudo significa? Deus não desistiu de Israel, mas, ele mudou o povo... Quem pudesse olhar aquela multidão de cima de um monte, 40 anos antes e 40 anos depois; quem recebesse tal informação dos dois censos diria: É o mesmo povo, até os números são idênticos...  Sim e não! Na verdade na verdade, aquela geração que pecou não confiando no Nosso Deus e cometendo todo tipo de abominação para levar O Eterno à ira, havia perecido e uma nova geração estava ali diante do Eterno, para serem agora os protagonistas e ao mesmo tempo os coadjuvantes no momento em que O Nosso Deus iria cumprir a Promessa feita a Abraão que na 4 geração os seus descendentes voltariam para possuir a Terra Prometida.

Talvez meditando nestes trechos da Torah, vendo as palavras, possamos entender em nossa realidade que no momento em que os cristãos estão em adoração, A Presença de Deus, não se manifesta para ver um grupo que toca bem, ou um guitarrista que faz um excelente solo, ou alguém que possui uma linda voz... Deus olha para o seu povo. Deus quer ver a Igreja adorando, O Nosso Pai Eterno nos vê, como se fossemos uma só pessoa.

Ao mesmo tempo em que Deus vê as nossas individualidades, responde a nossa oração, nos corrige quando erramos e nos abençoa quando nos aproximamos de Sua Vontade, Deus nos vê como povo, como nação.
Deus vê o que PINCHAS fez e dá ao filho de Eleazar, sua Aliança de Paz, e ao mesmo tempo faz com que o coração dos povos da terra derretam dentro do peito, como cera, quando Deus começa a entregar os reis ao Oriente do Jordão nas mãos de Israel.

Aprendemos muito com isso, que não foram eles que pecaram. Fomos nós.

Nós não somos os mais especiais do mundo. Não o somos em nossa congregação; não somos os únicos que Deus tem usado; as revelações que temos recebido, não é só a nós que Deus tem dado; não somos o lugar onde o avivamento no Brasil vai começar (ou em qualquer outro lugar); não somos a geração do avivamento, nem somos aqueles que não passaremos porque fomos os escolhidos para viver isso ou aquilo... Nestas coisas todos tem falhado muito... Consideramos de nós mesmos, mais do que devemos!

Vivemos este mal hoje em nossos dias... É certo que nas últimas décadas, Deus tem feito coisas extraordinárias com a Igreja entre as nações, e da mesma forma com Israel, mas, Deus nos tem feito entender que os Ministérios que O MASHIACH deixou para a Igreja não eram apenas para o primeiro século, e que entre as nações e entre os judeus, novamente apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres serão levantados pelo Eterno, para conduzir a Noiva do Cordeiro à estatura do Varão Perfeito (a saber: Yeshua HaMashiach).

Quando os anos vão passando e percebemos que a nossa geração não entrará na Terra da Promessa para conquista-la, no nosso caso, porque pecamos pregando um Evangelho que buscou trazer glória para os homens e não para Deus; porque nos deixamos levar por uma Teologia da Prosperidade, que desprezando a Verdade que Deus prospera seu povo, enganamos tantas pessoas para nos enriquecer, com promessas mentirosas; pecamos com adultérios; com ministros do evangelho que abandonaram as mulheres da sua mocidade e estão hoje num segundo casamento, muitas vezes com as mulheres com quem adulteraram e isso deixou de ser um escândalo para tornar-se um exemplo para que os membros das igrejas façam o mesmo; porque assim como toleramos os adultérios e os divórcios começamos a ficar flácidos com o homossexualismo em nosso meio, fazendo vistas grossas a pessoas que visivelmente vivem na prática destes pecados, mas, não são confrontados em suas atitudes e nem ajudados para que sejam purificados. Perdemos a autoridade para dizer a nossos filhos que se preservando para o casamento estarão abençoando suas próprias vidas, já que são tantos casos de imoralidade que os nossos jovens vão dizer: Como você pode me dizer isso com a vida que leva?

Precisamos perceber que um de nossos pecados foi nos tornar líderes carismáticos (graça dada por Deus), mas, achar que éramos insubstituíveis, continuamos no exercício de nossos ministérios e iniciamos uma curva descendente natural para todos sem nos preocupar com os que darão continuidade ao que Deus nos confiou.

Como Elias e Eliseu, há um tempo que somos como "os carros e os cavalos de Israel", mas, este tempo precisa dar lugar para o tempo que seremos reconhecidos como: "meu pai, meu pai".

Queremos grandes mudanças em nossas nações, mas, queremos o caminho curto e fácil de achar que algum líder carismático, possa assumir postos de governo e mudar coisas... O Sistema em que estamos inseridos não permite isso! Os mandatos são de 4 anos, e os que querem continuar em posições significantes, gastam invariavelmente um grande tempo de sua investidura pública tentando se manter em suas posições por mais tempo...

Não investimos na educação de nossos filhos, para que cheguem nos altos postos de nossa sociedade, mantendo-se fiéis em seus princípios e valores em Deus, mais do que isso, levando-os a uma experiência pessoal com Deus, para que sejam guiados pelo Senhor e não só pelos valores que os poderão fazer prosperar, mas, não são suficientes sem Deus.

As Palavras que Moisés diz aos filhos de Israel, aos que nasceram naquele deserto, aos que viram seus pais morrerem, e agora tinham a oportunidade de não errarem como a geração anterior. As Palavras que Moisés diz aos filhos de Israel, são a repetição das histórias que todos viveram com Deus... Não aquela geração, não aquele Povo que morreu... ESTE POVO! O AM ISRAEL!

Um dos grandes ataques que as gerações sofrem é que os mais velhos acham que os mais novos não estão no ponto de assumirem posições e então eles continuam como protagonistas e naturalmente geram uma revolta nos mais novos que percebem que os erros são inevitáveis, porque não é mais hora deles. 
O que as gerações mais novas começam a errar é desprezar tudo o que foi feito, o que de bom foi vivido e produzido, buscando novas revelações, novas maneiras de fazer e agir, e então quando amadurecerem perceberão que estão chegando às mesmas conclusões que a geração anterior e as passadas, porque é O MESMO POVO E O MESMO DEUS!!! Nesta falta de sintonia as duas gerações estão errando e as duas estão perdendo poder de alcance e de influência.

Moshe Rabeinu, não agiu assim, e isso nos ensina muito... ele repete àquela geração tudo o que Deus tinha feito, tudo o que O Nosso Deus havia dito, para que aquela geração não errasse como a geração anterior, vindo a possuir a Terra que sob juramento Deus prometeu a seus pais.

O AM ISRAEL hoje é o mesmo que conquistou a Terra Prometida. O TZAHAL (TZVA HAHAGANAH LEISRAEL - O Exército de Defesa de Israel), é o mesmo que já foi dirigido por Josué, Jonatas, David... O mesmo!

Qualquer pessoa que visita a Israel percebe como o que Moisés fez tornou-se uma forma de Educar as gerações. Quando você passeia pelos inúmeros sítios arqueológicos e turísticos de Israel, você sempre se deparará com grupos de  crianças, estudasse secundaristas e soldados do exército, que várias vezes na vida, voltam aos lugares onde todos os fatos históricos e narrados nas Escrituras ocorreram. Porque? "Porque uma geração louvará a outra geração as tuas obras, e anunciará os teus Poderosos feitos!" - Sl.: 145:4

Saber quem são, o que Deus fez nos trazendo até aqui, o que Deus nos falou, que experiências positivas e negativas vivemos, e principalmente o que Deus espera deles, e que nós confiamos e os motivamos a viverem isso, É UM LEGADO, que precisamos deixar para nossos filhos e os filhos de nossos filhos. Nós precisamos fazer parte de um grupo que entende que se não conseguimos alcançar a promessa é porque não fizemos por merecer e mais ainda, Deus em sua Soberania decidiu que serão outros e não nós...

Todos os apóstolos de Jesus Cristo, morreram brutalmente assassinados, com excessão de João. João cheio de dias chamava as pessoas de "filhinhos". Moisés, impõe mãos sobre Josué diante de toda a congregação dizendo: Será Ele, e não eu que os levará a possuir a Terra que sob juramento O Eterno prometeu a nossos pais... Elias chama e entrega o seu manto para Eliseu, profeta em seu lugar...

Jesus disse: "Não vos deixarei órfãos, mas, enviarei O Meu Espírito, O Espírito Santo, e recebereis poder para serdes as minhas testemunhas, em Jerusalém, na Judéia, em Samaria e até os confins da Terra...

Há alguns numa geração que entendem este chamado e esta honra e vão se dedicar a este trabalho... Fomentar nos jovens o futuro de Israel...

Hoje enquanto perdemos tempo olhando para nós mesmos para saber quem tem a última revelação, ou quem prega melhor, os livros de nossos filhos de literatura e de história escondem nossa herança judaico-cristã e supervalorizam as culturas africanas, o folclore indígena e a tradição idólatra européia, e sabe porque? Porque há pessoas que tem autoridade para decidir que impõe de cima para baixo o que nossos filhos vão estudar, porque eles há décadas tem investido nas gerações, para que abominem tudo o que se refere a Deus; para que aceitem como normais as relações entre pessoas do mesmo sexo; para que considerem normal a prática do aborto, e para que busquem na satisfação de seus prazeres e vontades e maior alvo de suas vidas...

Não estamos perdendo, estamos ganhando, porque Deus falou a nosso respeito!, Mas, quem olhava para os 600 mil homens 40 anos depois do Eterno ter tirado o seu povo do Egito, podia dizer que era o mesmo povo... E ERA! Porém eram outras pessoas! Aquelas morreram e uma nova geração se levantou.

Vamos fazer isso juntos? E se morrermos... Amém! "O Nosso viver é Cristo e o nosso morrer lucro!" Preferíamos estar com O Senhor, mas, por causa desta geração que ainda precisa de pessoas como Paulo, Moisés, Elias, Pedro, permaneceremos aqui até que se cumpra o tempo e o propósito de Deus para nós e então não importando como iremos deixar este tabernáculo, na expectativa dos Tabernáculos eternos que nos foram prometidos, poderemos dizer como Paulo: "Combati o bom combate, percorri todo o caminho e guardei a fé."

Vamos nos dedicar aos outros! Vamos atravessar O Jordão para ver os nossos irmãos possuírem a Terra que Deus lhes prometeu; Vamos investir nos nossos filhos! Vamos pregar para eles, ensinar a eles, mais do que nos preocupamos em ensinar e pregar para grandes auditórios... Vamos conversar com as crianças e com os jovens e vamos incendiá-los com o que Deus fez e falou conosco e vamos motivá-los a viver coisas muito mais extraordinárias.. enfim:


AM ISRAEL CHAI!!!!

KI MITZION TETZEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)



Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

MATOT / MASSEI - TRIBOS / CAMINHADAS





MATOT / MASSEI - TRIBOS / CAMINHADAS
Números: 30: 1 a 32: 42 e 33: 1 a 36:13
Josué 22: 1 a 34
Filipenses 3: 12 a 16 e Tiago 4: 1 a 12

Núm. 30: 1 e 2 - "Falou Moisés aos cabeças das tribos dos filhos de Israel, dizendo: Esta é a Palavra que O Eterno ordenou: Quando um homem fizer voto ao ETERNO, ou juramento para obrigar-se a alguma abstinência, não violará a sua palavra; segundo tudo o que prometeu, fará." 



Núm. 33: 1 - "São estas as caminhadas dos filhos de Israel que saíram da terra do Egito, segundo os seus exércitos, sob as ordens de Moisés e de Arão."

Uma geração inteira havia morrido no deserto e as crianças que saíram do Egito e as que nasceram naqueles 40 anos agora estavam bem próximas da conquista da Terra que Deus prometera a Abraão e seus descendentes.
As tribos de Rubem e de Gade, que eram pecuaristas e tinham grandes rebanhos de gado, descobriram a oriente do Jordão uma terra muito propícia à criação de gado, por causa dos pastos, e pediram para Moisés que pudessem ficar deste lado, para que pudessem se apropriar da porção que lhes cabia nesta região aonde estavam, será que todos vão ficar mais 40 anos no deserto por conta disto?



Moisés fica indignado e declara: "Porque, pois, desanimais o coração dos filhos de Israel?"



Precisamos nos aprofundar nesta crise que estava ocorrendo numa época muito importante, na época em que uma nova geração estava perto da oportunidade de viver o que a anterior havia perdido.



É muito curioso como vemos inúmeras vezes na Bíblia e na história da Igreja, (e vamos ser sinceros), também na vida de muitas pessoas que conhecemos em nossos dias, grandes oportunidades, incríveis de possibilidades de Deus, na vida de jovens, no auge de sua força física, com a percepção clara do que Deus lhe reserva como porção, mas, inexplicavelmente tais pessoas perdem essas oportunidades, permitem que as portas se fechem, não dão importância para algo tão precioso, voltando ao mesmo lugar, à mesma porta, à mesma oportunidade que se abriu no passado, porém agora com muitas cicatrizes, sem a mesma força de outrora, porém, com uma maturidade e uma determinação que não havia no passado...



Pensamos em Jacó cheio de vida e força e em Israel, coxo, cheio de dias e de filhos, no mesmo lugar... na Porta do Céu, na Casa de Deus;

Pensamos em Moisés, o príncipe do Egito com 40 anos, matando o soldado egípcio para libertar O SEU povo e Moisés aos 80 dizendo que não tem condições de libertar O POVO DE DEUS;

Pensamos no povo judeu que não conheceu O Tempo de sua visitação e na Verdade da Palavra que diz: TODO ISRAEL SERÁ SALVO. (O Remanescente será salvo).



A questão é que a força do nosso braço, pode nos levar a achar que nossas conquistas não dependem de Deus. Que podemos por nossos recursos, intelecto, tecnologia, amizades, enfim, pelo que possuímos, poder alcançar coisas independentes de Deus. Ou também é muito comum chegarmos a conclusões que distantes da realidade nos levam a conquistar adeptos enquanto os mais experientes ao nos ver dizem: "que bom se ele ouvisse!" - Há talento; há chamado de Deus; há capacidade para realiza-lo, mas, não é O TEMPO! 



O que dói é que o confronto muitas vezes é visto como orgulho; como medo de perder; como se os mais maduros estivessem querendo impedir que os sonhos dos mais jovens se concretizassem.

No afã de conquistar, de viver os sonhos  simplesmente pode se desconsiderar que a posição de um grupo fora de hora, sem certos cuidados, pode: "DESANIMAR O CORAÇÃO DOS FILHOS DE ISRAEL!"

Somos um povo. Um povo que possui muitas Tribos; que são compostas por muitas famílias, formadas por muitos indivíduos, cada um com uma característica própria, com talentos, dons, e um chamado específico de Deus... Mas, somos um povo. 

Somos O Corpo do MASHIACH, cada um dos nossos irmãos diferentes uns dos outros, cada um com um chamado, com uma característica própria, para atuar em determinada parte deste Corpo, para juntos, JUNTOS, manifestarmos a Deus...

Esta unidade e esta subserviência se conquista no decorrer de uma CAMINHADA, com experiências boas e ruins que foram sendo vividas no decorrer destes anos... No caso de Israel no decorrer destes 40 anos. 

Quantas saídas, quantas paradas, quantas mortes, quantas sepulturas no deserto, quantos nascimentos, quantas promessas, quantas oportunidades...

Uma geração inteira tinha morrido por não crer em Deus e por ter sido desanimada pelos espias que não olharam para Deus, mas, para os gigantes e para as dificuldades...
Uma nova geração agora está diante de uma nova oportunidade, a PREOCUPAÇÃO DE MOISÉS é real... Alguns podem achar que ele está exagerando, que ele podia agir deste ou daquele jeito... São muitas as opiniões, que uma pessoa na posição de liderança pode ouvir, mas, ter vivido, ter visto tantos morrerem, pensar em como seria ter entrado para possuir a Terra, 40 anos mais jovem? Faz de um líder alguém que toma as decisões que devem ser tomadas e não as decisões que vão alegrar o coração das pessoas... 

Moises não os trata como indivíduos, mas, os vê ocupando o lugar daqueles que na geração anterior fizeram Israel perecer no deserto, acendendo a Ira de Deus contra todos. Palavras bonitas não mudarão a posição do líder Moisés, cheio de dias, com quase 120 anos... A posição da Tribo de Rubem e da Tribo de Gade então é tremenda, eles não dão desculpas, eles não argumentam contra Moisés, eles tomam uma posição com respeito a KEHILAT ISRAEL, A Congregação de Israel.

"Construiremos currais para nosso gado e cidades para as nossas crianças, porém todos os nossos homens se armarão e apressando-nos passaremos adiante dos filhos de Israel, até que os levemos ao seu lugar... Não voltaremos para casa até que os filhos de Israel estejam na posse, cada um da sua herança" - Assim age um povo!

No início da Parashá MATOT, Deus adverte a Moisés sobre os votos que os filhos de Israel poderiam fazer, devendo  cumpri-los cabalmente como foram prometidos. O que um homem votar ou se comprometer de abster-se de algo deverá honrar. As palavras frívolas seriam cobradas, já que diante do Eterno tais palavras foram pronunciadas.

Muitas vezes falamos coisas sem pensar, sem refletir o que dissemos. Muitas vezes nos prendemos para ser simpáticos, para agradar alguém, por uma oportunidade de sermos famosos, ou de sermos agradáveis, mas, foi com O Poder da Palavra que O Eterno criou tudo o que existe, e nós, fomos feitos à Sua Imagem e conforme a Sua Semelhança... "Promessas são dívidas!" 

Sabe o que falou naquele dia na emoção... então, você será cobrado por aquela palavra...

"Pedro, ainda hoje, antes que o galo cante duas vezes, você me negará três vezes..."

Moisés responde aos homens de Rubem e de Gade: "Se isso fizerdes, se vos armardes para a Guerra perante O ETERNO, e cada um de vós, armado passar o Jordão perante O ETERNO, até que haja lançado fora os seus inimigos de diante Dele, e a terra estiver subjugada, perante O ETERNO, então, voltareis e sereis desobrigados perante O ETERNO, e perante Israel; e a terra vos será por possessão perante O ETERNO."

O Voto dos homens daquelas tribos é tão serio, que Moisés invoca 5 vezes O NOME DO ETERNO, (BENDITO SEJA O SEU GLORIOSO NOME), para compromete-los com aquele juramento.



Talvez alguma mulher diga a seu marido: "E se demorar? Quanto tempo isso vai levar? E se você não voltar? E se atacarem os nossos filhos? Como eu vou educá-los sozinha? Como? E se? VOTOS.

Hoje, estou falando do âmbito do povo de Deus, pessoas se casam e ante A Presença de Deus se comprometem a estarem juntos até que a Morte os separe, e simplesmente decidem se divorciar por incompatibilidade de gênios, ou por que dizem que não amam mais; ou porque se envolveram com outra pessoa...
Pessoas são recebidas num ministério e dizem que encontraram o seu lugar e são investidas de autoridade e recebem comissões e são colocados sobre a responsabilidade de vidas e num belo dia dizem: "Eu senti que o meu tempo aqui acabou", "Deus tinha me falado sobre o meu próprio ministério e me deu até um nome" - Oi??????

Há algumas coisas que nos unem como povo, que nos une como Corpo. Há tristezas que passamos juntos que nos vinculam. Há alegrias que desfrutamos juntos que nos amoldam a ser quem somos. Nos alegramos quando descobrimos que alguém vai ter um filho; saltamos de júbilo quando vamos consagrar uma criança para Deus, ou quando vamos batizar mais um de nossos bebes na fé; nos unimos em meio a lutas, a dificuldades, mas, de repente... Alguém que votou diz: Não foi bem assim! Eu não usei a Palavra "VOTO", eu nem sequer jurei ou prometi, eu só falei, mas, foi naquele momento... 

Israel sob o comando do ETERNO, sobe contra os midianitas para vingar a morte dos 24 mil homens que morreram por causa de Bilam (Balaão), quando este fez Israel pecar com as prostitutas cultuais. Os reis dos Midianitas e o próprio Balaão foram morto, já que por causa deles caíram muitos dos filhos de Israel... Pensamos como povo, como Corpo, estamos vinculados, unidos, nestes momentos somos verdadeiramente a expressão da Unidade. Este foi a última empreitada da nação de Israel sob o comando de Moisés, depois disso, Moisés faria os filhos de Israel sentarem-se às margens do Jordão, para que ele os fizesse lembrar de tudo o que O Eterno lhe disse naqueles 40 anos... 

Haveria muitas outras oportunidades que Israel novamente agiria como um só povo, como uma só nação, como a Congregação de Israel, mas, nunca mais sob a liderança de MOSHE RABEINU. 

A disposição dos homens das tribos de Rubem e de Gade são tão tremendas, que em especial os de Rubem, cobriram os pecados do seu pai, primogênito de Jacó, que perdeu a primogenitura por ter pecado, coabitando com a concubina de seu pai, mãe de seus irmãos. Os homens de Rubem, por terem jurado, adquirem o direito de novamente serem cobertos de honra, e por isso, a posição do lado sul do MISHKAN, onde ficava a Tribo de Rubem, na Terra de Israel corresponde ao deserto, de onde diz O Eterno: "O deserto reverdecerá". A desonra do passado, (no caso de Rubem), foi coberta pela atitude de seus filhos, homens de verdade; enquanto muitas vezes a honra do passado é destruída por atitudes no futuro... Qual caminho você quer seguir?

Palavras de bênçãos de Moisés sobre Rubem e Gade:

Dt. 33:6 - "Viva Rúben e não morra; e não sejam poucos os seus homens!"
Dt. 33: 20 e 21 - "De Gade disse: Bendito aqueles que faz dilatar Gade, o qual habita como a leoa e despedaça o braço e o alto da cabeça. E se proveu da melhor parte, porquanto ali estava escondida a porção do chefe; ele marchou adiante do povo, executou a justiça do ETERNO e os seus juízos para com Israel."

Somos todos tão diferentes; pertencemos a Tribos tão distintas, cada um com um chamado, com uma graça, com características próprias... assim também são nossas famílias, assim também somos nós... cada um criado com uma personalidade única pelo Pai das Luzes, no entanto, somos membros uns dos outros, somos O Corpo do MASHIACH, fomos integrados na KEHILAT ISRAEL, somos pelo MASHIACH, também filhos de Abraão... Por isso: "Aonde tu fores, irei eu; aonde morreres e fores sepultada, ali morrerei eu e serei sepultada; o teu povo é o meu povo e o teu Deus é o meu Deus" - Palavras de Rute a Naomi. 

Palavras assim não se perdem, não se quebram, não se esquecem, não se desconsideram... Somos um só povo e temos um ÚNICO E VERDADEIRO DEUS... O Nosso destino é um só! A saber:  Fazer O Nosso Deus, Cabeça sobre todas as coisas, e para isso Ele nos deu O MASHIACH.

A HORA DA DESPEDIDA

Depois de 7 anos que o povo de Israel passou para possuir a Terra Prometida, a terra foi conquistada. Infelizmente o povo de Israel não desapossou todos os moradores da Terra como lhes advertiu O Eterno, mas, mesmo assim, as Terras foram divididas e os homens das tribos de Rubem e Gade e também metade da tribo de Manassés, voltaram para o outro lado do Jordão para tomarem posse das Terras que Moisés lhes deu por sua Palavra, se tais homens cumprissem o voto que fizeram de não voltarem para lá, até que todo Israel estivesse na posse de suas terras também.

Neste momento aqueles valentes levantam um Altar, às margens do Jordão, Um Memorial, para lembrar aqueles 7 anos em que não viram os seus filhos crescerem, em que não dormiram com suas esposas, em que muitos morreram nas guerras pelas conquistas das terras ao Ocidente do Jordão. 

Quando em Shiló, lugar onde estava a Arca da Aliança, souberam os filhos de Israel que os homens daqueles tribos levantaram um Altar, logo pensaram: "Bastou darmos as costas a eles, e já pecaram contra O Nosso Deus, levantando um outro altar para se rebelarem contra o Nosso Deus", e então juntaram um exército e foram à Guerra contra seus irmãos...

Aqueles que atravessaram O Jordão, aqueles com quem caminharam por tantos lugares, com quem enfrentaram tantas guerras... Guerrear agora contra eles?

Pinchas, é quem vai à frente dos exércitos de Israel para confrontarem os seus irmãos, porém ao alcancá-los descobrem que jamais eles tiveram a intenção de pecar contra Deus, mas, aquele Altar era um Memorial de que um dia eles lutaram juntos; que num tempo eles ATRAVESSARAM O RIO, para lutarem juntos e conquistarem juntos...

Este memorial era para que os filhos de Israel que estavam do lado Ocidental (onde estava Shiló), onde seria edificada Jerusalém, local onde um dia O MASHIACH vai reinar, se lembrassem que um dia os que estavam do outro lado atravessaram para os ajudar a conquistar as terras deste lado... 

Um Memorial para lembrar as futuras gerações, que um dia lutamos juntos, que um dia conquistamos juntos, que um dia pleiteamos juntos as Guerras do Nosso Deus.

Hoje a Igreja de Cristo, na sua quase totalidade composta por não judeus, não pode se esquecer que quando nascemos só haviam judeus. Não podemos esquecer as dezenas de milhares de crentes em Yeshua, nas primeiras décadas da Igreja. Não existem dezenas de milhares de judeus crentes em Yeshua ainda hoje em Israel, mas, um dia fomos um só povo. Um dia Kefas, foi até a casa do Centurião Romano, Cornélio e enquanto falava de Yeshua, O Espírito caiu sobre todos os que estavam na casa, os primeiros não judeus a serem cheios do Espírito Santo...

Já fomos um só povo, já andamos juntos, como nos dias de Paulo, judeu de judeus, fariseu de fariseus, que nos foi enviado como Shaliach, para nos anunciar as Boas Novas de MASHIACH...

Somos diferentes, O Eterno espera coisas distintas de nós, mas, somos um só povo. Que os nossos filhos se lembrem que A PALAVRA DE DEUS, é este Memorial, que nos faz lembrar deste tempo em que os Pais da Igreja mandaram avisar que nós, não judeus não deveríamos ser perturbados, mas, que apenas nos abstivéssemos da idolatria, das relações sexuais ilícitas, de comer sangue e da carne de animais sufocados...

UM SÓ POVO!
UM SÓ DEUS!

Até O Dia do Senhor, ainda há muita coisa para ser feita... Uns vão chegar e outros vão partir; uns nascerão e outros morrerão; precisamos valorizar os dias em que estamos juntos; precisamos valorizar os dons e os talentos que Deus nos tem dado neste tempo e precisamos valorizar O CORPO DE CRISTO, os propósitos de Deus maiores do que os nossos. Não podemos "DESANIMAR O CORAÇÃO DOS FILHOS DE ISRAEL", precisamos valorizar o tempo em que Deus nos dá a honra de estarmos juntos...

Juntos pelo Nosso Deus e pelo Seu Povo!


KI MITZION TETZEH TORAH
U´DEVAR ADONAI MIYERUSHALAIM!
(Porque de Sião sairá a Lei e a Palavra do Eterno de Jerusalém!)




Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem